Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Portugal tem das mais altas taxas de mortalidade por infeções resistentes a antibióticos

Portugal é dos países da OCDE com as taxas de mortalidade mais elevadas por infeções resistentes aos antibióticos, revela um estudo divulgado esta quarta-feira. Até 2050 podem morrer perto de 50 mil pessoas.

As infeções serão responsáveis pela morte de 2,4 milhões de pessoas na Europa, América do Norte e Austrália nos próximos 30 anos, a não ser que sejam tomadas medidas para parar as resistências aos antibióticos, refere a OCDE num estudo que conclui que tais medidas representam um investimento de apenas dois dólares (cerca de 1,75 euros) por pessoa por ano.

Crianças até aos 12 meses e os idosos são os mais vulneráveis às infeções

Os autores de estudo, com o título “Stemming the Superbug Tide: Just a Few Dollars More”, concluem que os países do sul da Europa, como a Itália, Grécia e Portugal arriscam ser particularmente afetados por este problema.

Itália tem a mais alta taxa de mortalidade por resistência aos tratamentos com antibióticos – 18,1 mortes por cada 100 mil habitantes por ano – seguido da Grécia (14,8 por 100 mil), e por Portugal com 11,3 mortes por 100 mil habitantes.

A OCDE alerta para a necessidade de um investimento nesta área para salvar vidas e poupar dinheiro no futuro. Entre outras medidas, é essencial promover a higiene e a lavagem das mãos, acabar com a sobre-prescrição de antibióticos, usar testes rápidos para determinar se uma infeção é vírica ou bacteriana e realizar campanhas mediáticas para melhor informar os cidadãos.

As crianças até aos 12 meses e os idosos (mais de 70 anos) são os mais vulneráveis às infeções e têm mais probabilidade de desenvolver infeções resistentes aos antibióticos. Os homens também são mais suscetíveis do que as mulheres, revela o estudo da OCDE. (Jornal de Notícias)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »