Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Nova proposta de lei sobre a Liberdade Religiosa, Crença e Culto vai à discussão na AN

A proposta de lei sobre a Liberdade Religiosa, Crença e Culto define os princípios relativos ao exercício da liberdade de religião, crença e culto, em consonância com a Constituição e com as convenções internacionais

A nova proposta de Lei sobre a Liberdade Religiosa, Crença e Culto vai à apreciação e votação na generalidade, no próximo dia 07 de Novembro de 2018, pelas Comissões de Trabalho Especializado da Assembleia Nacional. A referida proposta de lei encontra-se já na Assembleia Nacional, depois de ter sido inovada sobre a proposta de revisão da Lei n.º 2/04, de 21 de Maio.

A mesma define, agora, os princípios relativos ao exército da liberdade de religião, crença e culto, em consonância com a Constituição e com as convenções internacionais sobre a matéria. Define ainda, em concreto, o conteúdo negativo e positivo da liberdade religiosa, ou seja, o que é permitido e proibido no âmbito do exercício da liberdade religiosa. Clarifica o modo de exercício da liberdade religiosa dentro e fora dos locais de culto, bem como os actos a serem praticados.

Define que o Estado deve indicar os locais para construções de templos ou locais de culto, atendendo ao regime sobre ordenamento do território e edi
ficações urbanas, clarificando o regime de financiamento das confissões religiosas.

A nova proposta esclarece também as regras relativas à protecção dos locais de culto, dos fiéis e dos bens utilizados pelos ministros de culto. Estabelece as regras relativas ao exercício da liberdade religiosa na educação e no trabalho, entre outros. Elucida a isenção e benefícios fiscais aplicáveis às confissões religiosas aos mecanismos de acompanhamento, o regime de constituição, modificação e extinção das confissões religiosas.

Reduz, por outro lado, o número de assinaturas a instruir no processo de constituição das confissões religiosas e, ainda, os princípios relativos à tolerância religiosa e afins. Define a competência do Executivo para a regulamentação da lei. Enquadramento no Plano de Governação.

O diploma enquadra-se no Plano Nacional de Desenvolvimento 2018-2022 e está alinhado com os seus objectivos específicos para o sector da Cultura. Neste sentido, o seu enquadramento é aferido a partir do Programa de “Valorização e Dinamização do Património Histórico e Cultural”, o qual contempla, entre outras, as prioridades dos objectivos específicos para o sector da Cultura.

Impacto Social e Económico do diploma

Do ponto de vista do impacto social, a proposta de lei dará resposta ao constrangimento sobre a impossibilidade de reconhecimento de pessoas colectivas com fins religiosos que se verifica há mais de 10 anos. Por outro lado, permitirá regular a acção das confissões e outros entes religiosos. Do ponto de vista do impacto económico, o diploma não acarreta despesas imediatas para o Orçamento Geral do Estado. Contudo, a aplicação eficaz do diploma implica o reforço institucional do Instituto Nacional para os Assuntos Religiosos do Ministério da Cultura.

A lei comporta seis (6) capítulos, apresentados em sessenta e oito (68) artigos. Considerando que a Lei n.º 2/04, de 21 de Maio sobre a liberdade de consciência, culto e religião não dá resposta à nova realidade social, o Estado angolano assumiu como tarefa principal encontrar novos mecanismos adequados para a harmonização da actividade religiosa no país. Nas reuniões conjuntas a serem realizadas de 05 a 09 do mês em curso pelas Comissões de Trabalho Especializado da Assembleia Nacional, serão ainda apreciados o novo Código Penal angolano e outros projectos de resolução. (O País)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »