Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Habitantes da região fronteiriça recorrem a serviços médicos na RDC

Mais de 3.500 habitantes da Regedoria/Saimbuanda, província da Lunda Norte, recorrem à assistência sanitária e ensino primário da República Democrática do Congo (RDC), por falta de serviços e infra-estruturas afins na região.

Esta informação foi prestada à imprensa no fim-de-semana pelos anciãos da referida Regedoria, durante a visita do governador provincial Ernesto Muangala ao marco-21, que deu início a jornada de constatação às condições sociais nas áreas fronteiriças com a RDC.

Ernesto Muangala justificou o facto dizendo que esta situação surgiu em razão do tempo que foi preciso para a reposição daquela parcela ao território nacional, uma vez que as autoridades congolesas reclamavam como sendo sua até 2006.

Naquele posto da polícia da Guarda Fronteira de Angola, o governante tomou conhecimento que 200 estrangeiros em situação ilegal saíram voluntariamente do território nacional durante o mês transacto, no quadro da Operação Transparência.

Ndala Kapaka, um dos seis sobas da Regedoria que dista a seis quilómetros da província do Cuango (RDC), defendeu a melhoria dos acessos para a promoção do comércio rural.

Por sua vez, Pedro Nelson, um dos dois professores primários há um ano na comunidade, disse notar um elevado índice de absentismo e fraca assimilação dos alunos na língua portuguesa, por ainda frequentarem escolas congolesas onde aprendem a língua local “lingala” e o francês.

Os encarregados de educação explicam que a situação ocorreu devido a falta de professores e infra-estruturas escolares, mas garantem o retorno dos filhos às aulas em instituições nacionais de ensino, a partir do próximo ano lectivo.

O mesmo partilha a adolescente Rachel Cassenga, de 15 anos, que deplorou a ocupação das instalações de igrejas para as aulas em detrimento dos cultos de adoração a Deus.

Presente na caravana do governador, o Conservador Provincial do Registo Civil, Chissola Yânvua, adiou o registo gratuito perspectivado para mais de 800 menores da povoação em consequência da chuva.

A província da Lunda Norte, com mais de 900 mil habitantes em dez municípios, partilha 770 quilómetros de fronteira com a República Democrática do Congo. (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »