Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Receitas fiscais representam 19% do PIB de Cabo Verde, segundo a OCDE

As receitas fiscais em Cabo Verde representaram 19% do Produto Interno Bruto em 2016, de acordo com um relatório sobre estatísticas de receitas em África apresentado quarta-feira pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

As taxas sobre bens e serviços contribuíram para a maior fatia deste valor, sendo responsáveis por 12,5% do Produto Interno Bruto (PIB) de 2016, seguindo-se os impostos sobre rendimentos, com 6,2%. Os restantes 0,3% dizem respeito a impostos sobre património.

De acordo com o relatório, “Estatísticas das Receitas em África 1990-2016”, a OCDE indica que em 2016, Cabo Verde recolheu 312 milhões de dólares em impostos (cerca de 276 milhões de euros).

Já as receitas não fiscais foram responsáveis por 7,2% do PIB em 2016, representando 118 milhões de dólares (cerca 104 milhões de euros).

Deste valor, 42,8% está associado à venda de bens e serviços e 38,3% ligada a benefícios ou subvenções. Receitas ligadas a propriedade representaram 9,2% do PIB, enquanto as multas e coimas chegam aos 5,8%. Os restantes 4% são de origem não descriminada.

O relatório lançado na quarta-feira, em Paris, durante o Fórum Internacional sobre África, constitui a terceira edição das Estatísticas das Receitas em África e fornece informações comparáveis sobre receitas fiscais e não fiscais sobre 21 países participantes: Botsuana, Burkina Faso, Cabo Verde, Camarões, República do Congo, República Democrática do Congo, Costa do Marfim, Egipto, e Swatini (ex-Suazilândia), Gana, Quénia, Mali, Maurícias, Marrocos, Níger, Ruanda, Senegal, África do Sul, Togo, Tunísia e Uganda.

As Estatísticas de Receitas em África são uma produção conjunta do Fórum Africano de Administração Fiscal, da Comissão da União Africana e da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), com o apoio da União Europeia. (Inforpress)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »