Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Protestos adiam libertação de cristã absolvida no Paquistão

A libertação da paquistanesa cristã Asia Bibi, absolvida oito anos depois de ter sido condenada à morte por blasfémia, foi hoje adiada depois de fracassadas as negociações entre o Governo e os grupos que exigem a sua execução.

A absolvição de Asia Bibi, na quarta-feira, foi aplaudida em todo o mundo por organizações de direitos humanos, que há muito exigiam a sua libertação, mas gerou protestos um pouco por todo o país, sobretudo no seio do partido Tehreek-e-Labbaik Pakistan (TLP) e dos seus apoiantes.

O pregador islâmico Khadim Hussain Rizvi, do TLP e principal rosto dos protestos, convocou, esta manhã, os seus seguidores a participarem numa “greve geral” com a qual pretende paralisar o país, “após o fracasso das negociações”.

Desde a decisão, milhares de manifestantes têm bloqueado as estradas e exigido o enforcamento de Asia Bibi.

Na quarta-feira, o Supremo Tribunal paquistanês absolveu Asia Bibi sob o argumento de que, na sentença de morte, ditada em primeira instância, houve “graves contradições” e registaram-se “mentiras” em testemunhos.

O primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan, num discurso na televisão local argumentou, no mesmo dia, que a “decisão do Supremo Tribunal está conforme a Constituição” e pediu aos manifestantes, que contestaram a absolvição, que não enfrentem o Estado.

Asia Bibi, mãe de cinco filhos, foi acusada de blasfémia em 2009, após ter alegadamente insultado o profeta Maomé durante uma discussão com um grupo de mulheres com quem trabalhava.

Em novembro de 2010, um tribunal paquistanês decretou a pena capital, mas a sentença só foi confirmada quatro anos depois pelo Supremo Tribunal de Lahore, capital da província de Punjab, onde ocorreu o incidente.

Em 2011, o ex-governador de Punjab Salman Taseer, que defendia publicamente a causa de Asia Bibi, foi morto a tiro por um dos guarda-costas, Mumtaz Qadri, executado anos depois.

O caso de Asia Bibi teve impacto internacional e chegou a atrair a atenção dos papas Bento XVI e Francisco.

A dura lei anti blasfémia paquistanesa foi estabelecida durante a época colonial britânica para evitar lutas religiosas, mas na década de 80 do século XX várias reformas do então ditador Mohamed Zia-ul-Haq favoreceram abusos.

Desde essa altura, foram registadas mais de mil acusações por blasfémia, um crime que pode levar à morte por apedrejamento, embora essa pena nunca tenha sido aplicada. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »