Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

EUA precisam de “algumas semanas” antes de impor sanções aos responsáveis – Pompeo

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, disse na quinta-feira que serão necessárias “mais algumas semanas” até que os Estados Unidos tenham provas suficientes para impor sanções aos responsáveis pelo assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi.

“Vamos precisar de mais algumas semanas para reunir os elementos suficientes para implementar essas sanções, mas acho que poderemos fazê-lo”, acrescentou, lembrando que o Presidente Donald Trump garantiu que “vai responsabilizar aqueles que estiveram envolvidos neste crime hediondo”.

Na quarta-feira, a procuradoria de Istambul indicou que o jornalista saudita Jamal Khashoggi foi estrangulado logo após ter entrado no consulado da Arábia Saudita em Istambul e que o seu corpo foi depois desmembrado.

Foi a primeira confirmação pública feita por um responsável turco de que Khashoggi foi estrangulado e desmembrado depois de ter entrado no consulado saudita a 02 de outubro para obter documentos de que precisava para casar com a sua noiva, uma cidadã turca.

A Turquia quer que os 18 suspeitos do assassínio detidos na Arábia Saudita sejam extraditados para os julgar. Tem também pressionado Riade para divulgar informação sobre o local onde se encontra o corpo do jornalista crítico do regime saudita e sobre quem ordenou a sua morte.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, pediu ainda a Riade para revelar a identidade de um alegado colaborador local, que terá estado envolvido na eliminação do corpo de Khashoggi.

O jornalista e colunista do jornal norte-americano The Washington Post, de 59 anos, desapareceu depois de ter entrado no referido consulado no início de outubro. Crítico da família real saudita, Khashoggi vivia exilado nos Estados Unidos.

Sob pressão internacional, Riade reconheceu após vários dias o assassínio do jornalista no seu consulado numa operação “não autorizada”, mas apresentou várias versões contraditórias que suscitaram ceticismo. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »