Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Sensor danificado na origem do incidente com nave Soyuz

Um sensor danificado durante a montagem está na origem do incidente do passado dia 11, que impediu o lançamento de uma nave, informaram hoje membros da comissão de investigação ao caso, em conferência de imprensa.

“Ficou demonstrado e confirmado por documentos que a culpa foi desse sensor e esta [deformação do sensor] só pode ter sido provocada durante a montagem no cosmódromo de Baikonur”, segundo Nikolái Sevastiánov, da comissão.

Sevastiánov, diretor do TsNIIMash, centro de investigação da indústria espacial russa, explicou que o sensor defeituoso, impediu a abertura de uma tampa e o lançamento da nave espacial Soyuz.

“Excluímos também que o sensor possa ter-se danificado ao cair. Foi estabelecido, sem sombra de dúvida, que o único local onde possa ter ocorrido foi durante a montagem em Baikonur [no Casaquistão]”, segundo a mesma fonte.

O subdiretor de Roscosmos, a agência espacial russa, Alaxandr Lopatin, notou não ser responsabilidade da comissão apontar responsabilidades pessoais neste caso.

“De esses aspetos ocupam-se os respetivos órgãos judiciais (…). Nós examinamos o lado técnico da avaria, mas naturalmente, cada avaria tem um nome e apelido”, respondeu Lopatin à questão sobre se foi identificado o responsável.

Dois foguetes montados da mesma forma serão desmontados e examinados.

No passado dia 11, a nave espacial Soyuz MS-10, com dois tripulantes a bordo, foi obrigada a aterrar de emergência, tendo na altura sido apontada uma falha no motor.

A Soyuz transportava o cosmonauta russo Alexei Ovchinin e o astronauta norte-americano da NASA, Nick Hague.

“Os dois astronautas estão vivos e devem aterrar no Cazaquistão”, transmitia a estação de televisão Rossiya 24 minutos antes da aterragem da nave espacial no cosmódromo russo de Baikonur, em território cazaque.

A nave devia transportar os dois tripulantes para a Estação Espacial Internacional onde permaneceriam durante seis meses.

De acordo com os planos estava previsto que a nave viesse a cumprir quatro voltas à terra para seis horas depois acoplar na Estação Espacial Internacional.

Na Estação Espacial Internacional encontram-se, desde junho, os membros da Missão 57, o comandante Alexander Gerst da Agência Espacial Europeia, a piloto da NASA, Serena Auñon-Chancellor e o piloto da Roscosmos Serguei Prokópiev. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »