Smiley face

Salte à corda como um profissional e tire todo o proveito desta prática

0 20

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Sabe que há cordas de venda personalizada, que se definem pelo peso de cada um? Extremismos à parte, atente nas dicas nada complicadas para conseguir praticar este tipo de cardio da melhor forma.

Como já se esperava, o sucesso vem do treino que deve ser insistente e repetido bastantes vezes para garantir que quem o pratica fá-lo de forma cada vez melhor, mas há mais a ter em conta.

Quem define tais dicas é a personal trainer Erin Oprea. A californiana com mais de 120 mil seguidores no Instagram, onde partilha alguns dos seus momentos de treino (sozinha ou com clientes), vê a corda como uma muito boa opção de cardio, por ser simples, muito eficaz, garantir um grande aumento do ritmo cardíaco em pouco tempo e poder ser praticado em qualquer lugar.

Certa de que o que para muito é fácil pode ser visto por outros como uma tarefa complicada, Oprea aponta os XX passos a ter em conta:

Salte bem próximo do chão: Um comum erro entre muitos iniciantes é o de “tentar chegar ao teto”, refere a PT. Pelo contrário, quanto mais próximo ao chão se mantiver menor será o impacto. A altura ‘certa’ é apenas a suficiente para que a corda passe por debaixo dos seus pés

Mantenha os antebraços fixos e junto ao corpo: Ombros para baixo (e estáticos), antebraço paralelo ao tronco e braço esticado um pouco dobrado. Para garantir uma boa prática, são essencialmente os pulsos que mexem,

Seja mais teimoso que a sua ‘falta de jeito’: Se à primeira não conseguir, insista. No início pode ser cansativo não conseguir mais do que três seguidos, mas se se ficar pela teoria e nunca chegar à prática, nunca irá conseguir atingir a perfeição. Erin Oprea já atingiu os 1000 saltos em certa de 15 minutos, mas mesmo antes de atingir este feito, verá que saltar à corda pode ser algo bem mais simples e não uma ação em que tem de pensar em tudo o que faz. (Notícias ao Minuto)

por Mariana Botelho

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »