Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Tribunal turco liberta pastor norte-americano Andrew Brunson

A justiça turca libertou hoje da prisão domiciliária o pastor norte-americano Andrew Brunson, cuja detenção na Turquia provocou uma grave crise entre Ancara e Washington.

O tribunal, em Aliaga, na região de Izmir (oeste), condenou o pastor a três anos e um mês de prisão, mas decidiu libertá-lo tendo em conta o tempo que já passou detido e o seu comportamento durante o processo, noticia a agência France-Presse.

O Ministério Público turco tinha pedido hoje o levantamento da prisão domiciliária de Brunson e da sua proibição de abandonar a Turquia.

Em mais uma sessão do julgamento, o Ministério Público pediu também uma pena de “até dez anos de prisão” por pertença a uma “organização terrorista”.

Segundo a agência AFP, mesmo que seja condenado, Brunson poderá abandonar a Turquia se interpuser um recurso.

Brunson, de 50 anos e que vive na Turquia há mais de duas décadas, foi preso em dezembro de 2016 e indiciado por espionagem e acusações relacionadas com terrorismo.

O pastor, que rejeita as acusações, foi transferido a 25 de julho para prisão domiciliária por motivos de saúde.

A tensão entre a Turquia e os EUA, latente desde há longos meses, agravou-se após a imposição por parte de Washington, em 01 de agosto, de sanções contra dois ministros turcos devido ao caso Brunson.

A Turquia respondeu às sanções com contramedidas semelhantes dirigidas a altos cargos norte-americanos.

Apesar de as relações bilaterais manterem várias situações em aberto, incluindo o apoio norte-americano a milícias curdas sírias que Ancara considera “terroristas”, a detenção do pastor evangélico foi o fator que motivou a aplicação de sanções mútuas entre os dois aliados da NATO.

A Turquia acusa por sua vez Washington de não pretender extraditar o predicador islamita Fethullah Gülen, autoexilado nos EUA há 19 anos e acusado de responsabilidade pelo fracassado golpe de Estado militar de julho de 2016, uma alegação que este também tem rejeitado. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »