Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Fernando Gomes acusa Lucas Ngonda de querer destruir a FNLA

O presidente de uma das alas da Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA), Fernando Pedro Gomes, insurgiu-se contra a actuação de Lucas Ngonda e da ala que o quer destituir da presidência do partido.

Falando à Angop, Pedro Gomes acusou os outros militantes de quererem destruir o partido por causa de ambições desmedidas, quando, segundo o mesmo, a solução já tinha sido encontrada no congresso realizado de 20 a 24 de Junho de 2018, em Luanda.

Na sua perspectiva, as duas alas deveriam aderir às conclusões do congresso da sua ala, por ter sido consensual, inclusivo e organizado com base nos ditames do Tribunal Constitucional sobre a organização e o funcionamento dos partidos políticos.

Todos os membros do Bureau Político e do Comité Central das outras duas alas foram incluídos na nova direcção do partido, incluindo Lucas Ngonda, explicou.

Para o político, no termo do congresso a nova direcção da FNLA remeteu o dossier ao Tribunal Constitucional, cumprindo com o disposto nos nºs 7 do artigo 20 e 1 do artigo 21, ambos da Lei 22/10 – Lei dos Partidos Políticos, com o objectivo de aferir e ou a anotar o congresso em apreço, nos termos da alínea b) do nº 1 do artigo 63 da Lei 3/08, de 17 de Junho, Lei orgânica do Processo constitucional.

Recorde-se que o congresso que a ala da FNLA de Lucas Ngonda, reconhecida pelo Tribunal Constitucional, realizou de 25 a 27 de Junho último, na província do Huambo, expulsou Fernando Pedro Gomes, Laíz Eduardo, Ndonda Nzinga e mais um membro do bureau político daquela formação política.

No entanto, há algumas semanas, elementos que se consideram veteranos da FNLA têm exigido a demissão de Lucas Ngonda da presidência do partido.

A crise política na FNLA vigora há mais de 20 anos.

A FNLA, fundada em 1962, depois da união entre a UPA, de Holden Roberto, e o Partido Democrático Angolano (PDA), de Dom Massaki Mikolai e Emmnuel Kunzika, é um dos três partidos tradicionais que combateram o colonialismo português. (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »