Smiley face

Professores defendem actualização que considere o tempo de serviço

0 39

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Os professores do Cuanza Norte defendem, no âmbito do memorando de entendimento de 13 de Abril de 2018, assinado entre o Ministério da Educação e o SINPROF, uma actualização de categorias que salvaguarde o direito daqueles que estão prestes a passar à reforma.

A informação foi prestada neste domingo à imprensa, em Ndalatando, pelo secretário provincial do Sindicato Nacional de Professores (SINPROF), Domingos Francisco João, na sequência de uma assembleia provincial de agentes de educação que sábado analisou a implementação dos compromissos constantes do referido memorando.

Segundo o entrevistado, os participantes à assembleia concluíram notar-se da parte do governo um incumprimento dos compromissos do referido memorando que consagra a actualização das categorias dos professores a partir de Setembro de 2018, ao invés de Janeiro de 2019, conforme uma nova proposta governamental, que não contempla a contagem do tempo de serviço.

Se em Janeiro se concretizar tal actualização, para um professor auxiliar do primeiro escalão a ser actualizado como técnico médio isso não melhorará o seu salário ao ir no ano seguinte à reforma, caso nesse processo não conte o seu tempo de serviço, “acabando por não satisfazer aquilo que estamos a exigir”, salientou o sindicalista.

O encontro que reuniu cerca de duzentos agentes da educação, entre professores e representantes municipais do SINPROF, teve como objectivo reunir consenso sobre as preocupações a apresentar ao Conselho Nacional do Sindicato que reunirá de 10 a 12 de Outubro corrente.

“Os professores decidiram que se deve actualizar automaticamente as categorias contando o tempo de serviço, para salvaguardar os direitos dos que trabalham há muito tempo e que estão a caminho da reforma, ao invés de estarem ao mesmo nível dos que ingressarão no sector em 2019”, assinalou Domingos Francisco João.

A assembleia contou com a participação de representantes dos Gabinetes Provinciais da Educação e do Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social. (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »