Portal de Angola
Informação ao minuto

China investiga ex-presidente da Interpol por subornos e outros crimes

(© Jeff Pachoud/Pool via Reuters)

O governo chinês também fala em transgressões políticas de Meng Hongwei.

Depois de ter anunciado a detenção do ex-presidente da Interpol, Pequim afirmou esta segunda-feira que está a investigar Meng Hongwei por suspeitas de suborno. Num comunicado divulgado no site do Ministério de Segurança Pública, o governo chinês acusa o antigo líder da Interpol de “receber e de oferecer subornos”. Aponta ainda para outras “violações” da lei chinesa mas não especifica quais e refere que Meng Hongwei também cometeu transgressões políticas.

O ex-presidente da Interpol estava desaparecido desde o dia 25 de setembro. Este domingo, pouco depois de a China ter anunciado a detenção de Meng Hongwei, a sua mulher deu uma conferência de imprensa em Lyon, França, onde está localizada a sede da Interpol. Grace Meng disse que o seu marido alertou que estaria em perigo da última vez que tinham falado.

A Interpol também anunciou este domingo que Meng Hongwei apresentou a sua demissão como presidente da organização e que iria eleger um novo presidente em novembro.

Meng Hongwei trabalhou no Partido Comunista chinês e chegou mesmo a ocupar o cargo de ministro-adjunto para a Segurança Pública até novembro de 2016, altura em que foi nomeado como chefe da Interpol. (Notícias ao Minuto)

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »