Smiley face

Desmilitarização da Renamo arranca sábado, diz Nyusi

0 26

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Filipe Nyusi: “Até sábado já se encontrarão no território nacional todos os peritos solicitados para testemunhar o processo, provenientes da Tanzânia, Zimbabwe, Estados Unidos, Suíça, Alemanha, Noruega, Irlanda e Índia.”

O presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, anunciou hoje, que o processo de desmilitarização, desmobilização e reintegração do braço armado da Renamo, principal partido da oposição, inicia próximo sábado.

Neste processo, a Renamo deverá entregar as armas e ver os seus homens reintegrados na sociedade e nas forças de defesa e segurança nacionais.

Nyusi fez o anúncio, na Praça dos Heróis, em Maputo, num discurso para marcar o Dia da Paz, no qual confirmou que o general argentino Javier Perez Aquino vai coordenar o grupo internacional que fará o acompanhamento do processo.

Segundo ele, “até sábado já se encontrarão no território nacional todos os peritos solicitados para testemunhar o processo, provenientes da Tanzânia, Zimbabwe, Estados Unidos, Suíça, Alemanha, Noruega, Irlanda e Índia”.

Do curriculo de Aquino, coordenador do grupo internacional, consta que fez a supervisão do desarmamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, a mais velha guerrilha da América Latina, que foi transformada em partido politico.

Foi igualmente observador militar na Missão das Nações Unidas para o Iraque e Kuwait.

Fontes diplomáticas citadas pela imprensa disseram que ele foi escolhido por Nyusi e Ossufo Momade, líder interino da Renamo.

Recorde-se que a desmilitarização resulta das negociações entre Nyusi e o falecido líder da Renamo, Afonso Dhlakama. (VOA)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »