Portal de Angola
Informação ao minuto

Assim como a Coca-Cola, PepsiCo se interessa em explorar bebidas de maconha

Pepsi planeia "considerar seriamente" o tema da maconha, acrescentou seu director financeiro, Hugh Johnston (Afp)

O sector maconha parece se converter em um ramo inevitável para qualquer grande empresa que venda bebidas. E a Pepsi não é uma excepção. A campanha planeia “considerar seriamente” o tema, assegurou seu director financeiro, Hugh Johnston, nesta terça-feira (2).

Em geral, “estamos analisando qualquer oportunidade de crescimento, movemos céus e terras para encontrar o crescimento”, declarou Johnston ao canal de notícias CNBC.

Nesse contexto, “acho que consideraremos seriamente” a cannabis, indicou, embora diga não estar “pronto para compartilhar publicamente” os possíveis projectos do grupo nesse sector.

A grande adversária da PepsiCo, a Coca-Cola, também expressou recentemente o seu interesse na planta ao explicar, em meados de Setembro, que estava “analisando de perto o crescimento no mundo do CBD, um princípio psicoativo (da cannabis), como ingrediente em bebidas para se sentir bem”.

“Ainda não foi tomada uma decisão”, mas “esse sector está mudando rapidamente”, assinalou a Coca-Cola na ocasião.

Os gigantes da agro-indústria também estão tentando entrar no negócio da maconha, principalmente por apostarem que ela será legalizada em muitos países nos próximos anos.

O consumo e o cultivo da maconha serão legais no Canadá a partir de 17 de Outubro, e no Uruguai já são desde 2013 sob a tutela do Estado.

Nos Estados Unidos, embora alguns estados tenham autorizado o seu uso recreativo e terapêutico, “isto continua sendo ilegal a nível federal”, declarou o chefe da PepsiCo nesta terça.

As incertezas sobre a situação legal da planta ainda desestimulam muitas empresas a investir no setor. (Afp)

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »