Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Trump acusa Brasil de tratar empresas dos EUA ‘injustamente’

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou o Brasil, nesta segunda-feira, de tratar “injustamente” as empresas americanas, afirmando que o país é um dos mais difíceis do mundo para manter relações comerciais.

“É uma beleza. Eles cobram o que querem de nós. Se você perguntar nas empresas, vão dizer que o Brasil está entre os mais difíceis, talvez o mais difícil do mundo”, disse Trump, durante uma coletiva de imprensa sobre o novo acordo comercial entre Estados Unidos, México e Canadá para substituir o Nafta.

“Nós não chamamos eles [os brasileiros para participar de negociações comerciais] e dizemos: ‘Vocês estão tratando nosso país injustamente'”, acrescentou, do jardim da Casa Branca, falando sobre as tarifas cobradas pelo Brasil.

Trump contrapôs a situação das negociações comerciais com o Brasil com o caso da Índia – que, segundo ele, quer começar negociações comerciais com os EUA “imediatamente”.

O subsecretário-geral de Assuntos Econômicos e Financeiros do Itamaraty, Ronaldo Costa, recordou “que empresas norte-americanas tiveram e seguem tendo participação destacada no processo de desenvolvimento nacional, dentro do contexto mais amplo da construtiva relação econômica entre os dois países”.

O Itamaraty concluiu que o comércio bilateral, pautado pelos compromissos de ambos países na Organização Mundial do Comércio (OMC), tem se caracterizado nos últimos anos por sucessivos superávits dos EUA.

Já o secretário do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), Abrão Árabe Neto, declarou que é preciso “entender mais em detalhes qual o contexto e o teor das preocupações externadas pelos EUA”.

“De maneira geral, temos uma relação comercial muito positiva com os Estados Unidos. É nosso segundo principal parceiro comercial, temos comércio com perfil muito complementar e estratégico de trocas comerciais. E observamos nos últimos anos um fortalecimento desse comércio”, acrescentou.

Segundo o secretário, os Estados Unidos registraram um superávit de 90 bilhões de dólares no comércio bilateral de bens na última década, que chega a 250 bilhões caso sejam incluídos bens e serviços.

Os Estados Unidos são o segundo principal parceiro comercial do Brasil depois da China.

O Brasil teve um superávit de US$ 2,026 bilhões de dólares em suas trocas comerciais com os Estados Unidos em 2017, com exportações de US$ 26,872 bilhões e importações de US$ 24,846 bilhões, de acordo com dados do MDIC. (AFP)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »