Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Republicanos querem confirmação de juiz Brett Kavanaugh nesta sexta-feira

Juiz indicado pelo Presidente Trump e acusadora frente-a-frente

O Comité Judicial do Senado americano deve votar nesta sexta-feira, 28, a favor da indicação de Brett Kavanaugh para juiz do Supremo Tribunal, depois de hoje ele ter negado, com emoção e voz alta, a acusação da professora universitária Christine Blasey Ford, que ele a teria agredido sexualmente quando ambos frequentavam o ensino seceundário.

Ford, que por vezes teve a voz embargada pela emoção, apareceu em público pela primeira vez para detalhar a sua acusação contra Kavanaugh, disse ao comité que temia que ele a estuprasse ou a matasse acidentalmente por, então, se encontrar bêbado.

Kavanaugh depôs após Ford terminar a sua intervenção. “Eu juro hoje, diante do Senado e do país, diante da minha família e de Deus, eu sou inocente desta acusação”, disse Kavanaugh aos senadores.

Ele considerou ser uma vítima de “um assassinato grotesco e óbvio de reputação”, acrescentando que “não serei intimidado a me retirar desse processo”, acrescentou ele.

Kavanaugh em alguns momentos engoliu o choro, especialmente quando mencionou que a sua filha sugeriu que eles rezassem por Ford, ou quando falou do seu pai ou mencionou suas amigas que se reuniram para apoiá-lo.

Ford, uma professora de psicologia na Universidade de Palo Alto, na Califórnia, disse em mais de quatro horas de depoimento que Kavanaugh, embriagado, a atacou e tentou retirar-lhe a roupa quando ele tinha 17 anos e ela 15, em 1982.

Questionada, a professora disse ter “100 por cento” de certeza de que foi agredida por Kavanaugh.

Em sua defesa, Kavanaugh atacou directamente os senadores democratas, dizendo ser vítima de um “golpe político calculado e orquestrado” depois que parecia que ele seria confirmado no cargo.

Ele acusou os democratas de “mentirem enquanto esperavam” as alegações de Ford, apenas revelando-as em público depois que a sua audiência de confirmação original havia terminado.

A audiência, que prendeu a atenção do público norte-americano e intensificou a polarização política nos Estados Unidos, ocorreu em meio ao movimento #MeToo contra os assédios e agressões sexuais.

Democratas receberam o depoimento de Ford como digno de confiança, corajoso, e, nas palavras do senador Cory Booker, “nada menos do que heróico”.

Do outro lado, alguns republicanos classificaram as alegações de Ford e de outras duas mulheres como parte de uma campanha de difamação.

Depois da aprovação do seu nome pelo Comité Judicial, Brett Kavanaugh será submetido à votação na plenária.

Trump apoia Kavanaugh e pede votação. O Presidente Donald Trump reiterou no final do dia o seu total apoio a Brett Kavanaugh, elogiando o seu depoimento na audiência no Senado na qual negou a acusação de uma professora universitária de agredi-la sexualmente há 36 anos.

“O juiz Kavanaugh mostrou à América exactamente por que o indiquei. Seu testemunho foi poderoso, honesto e cativante”, disse Trump no Twitter.

“O Senado precisa votar!”, concluiu. (VOA)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »