Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Caso Beatriz: Familiares da Jornalista suspeitam que mandante esteja solto

O julgamento do caso em que é vítima a jornalista da TPA Beatriz Fernandes e o jovem Jomance Muxito, prossegue no Tribunal Municipal de Viana. Ontem, a audiência serviu para ouvir os declarantes e uma de suas irmãs desconfia que deva existir um mandante e que está solto.

Maria Fernandes, irmã da jornalista que no ano passado foi morta barbaramente após ter sido raptada, disse ontem, em audiência de julgamento, que há suspeitas da existência de um mandante do crime, que terá liderado os 11 réus que se apresentam na Sala dos Crimes Comuns, 8ª Secção, do Tribunal de Viana. A família, embora não tenha provas concretas, acredita piamente na existência de alguém que tenha comandado os 11 jovens apresentados pelo SIC no cometido de tal crime, de que são vítimas Beatriz Fernandes e Jomance Muxito.

As palavras de Maria Fernandes contradizem o que a SIC havia apurado no decorrer dos factos, “que nas diligências e investigações feitas, averiguamos que não houve mandante para este crime”, explicou, na altura, o ex-director Provincial do SIC-Luanda, subcomissário Amaro Neto, numa conferência de imprensa.

Acrescentando que os meliantes assaltaram o veículo da jornalista sem saber de quem se tratava. Maria Fernandes, na sua explanação ainda afirmou que “os criminosos tinham tudo para não matar a minha irmã, até porque ela disse que tinha filhos menores para cuidar, mas ainda assim eles mataram”. A sessão de julgamento foi marcada pela audição dos declarantes, objectivando uma melhor solução do caso, na qual foi destaque as declarações de Maria Fernandes, de que para além dos onze réus no processo, deva existir um mandante.

Maria Fernandes exprimiu ainda que a sua família não tem acesso aos filhos de Beatriz, e que o pai dos meninos não os deixa ver, tendo a família, inclusive, recorrido ao tribunal, mas até agora sem sucesso. O processo tem arrolados onze réus, dos quais 4 são de países vizinhos, mas residentes em Angola. A próxima audiência acontece no dia 01 de Outubro, com mais declarantes. (O País)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »