Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Estadista angolano quer reformas adequadas aos novos tempos

O Chefe de Estado angolano, João Lourenço, pediu nesta quarta-feira, em Nova Iorque, reformas na Organização das Nações Unidas, adequadas aos novos tempos.

Para o Presidente João Lourenço, o surgimento de novos pólos de poder económico e financeiro e de avanço técnico e científico justificam a redefinição das suas estruturas de intervenção.

No seu discurso na sede da ONU, pediu também o alargamento do Conselho de Segurança, de modo a representar melhor as diferentes regiões geopolíticas.

Considerou essencial que a ONU assuma um papel cada vez mais activo na promoção e acompanhamento dos processos de democratização política, económica e social para a solução dos conflitos decorrentes, na maioria, de políticas autoritárias e de exclusão, do radicalismo ou da ingerência em assuntos internos de Estados soberanos.

Referiu que a bipolarização do mundo, com sistemas políticos e económicos antagónicos, não facilitou a aplicação de princípios a favor da paz e da segurança internacional.

Enalteceu o papel da ONU na abolição do colonialismo e promoção dos direitos do homem.

Acredita que com a participação de todos os Estados, a ONU reassume a sua acção voltada para a construção de uma ordem pacífica no mundo.

Para si, não se justifica que continuem a proliferar, sem aparente solução, conflitos injustificáveis e de diferentes dimensões, com populações a sofrer e abandonadas a sua sorte.

A 73ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas iniciou no dia 18 do corrente mês, com a duração de nove dias, e aborda, entre outros, à implementação de medidas mundiais nas áreas de paz, justiça, sociedade, economia e saúde.

O combate às armas, promoção dos direitos humanos, desenvolvimento socioeconómico, coordenação da assistência humanitária no mundo e a prevenção de doenças crónicas, tuberculose, malária e sida estão em destaque no evento. (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »