Smiley face

ERCA convicta na criação de Comissão de Ética e Carteira do jornalista

0 30

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERCA) está convicta que, nos primeiros meses do próximo ano (2019), Angola terá uma Comissão de Ética e Carteira do jornalista institucionalizada, na sequência da realização de uma assembleia-geral da classe a nível do país.

Essa convicção foi manifestada, hoje, quinta-feira, em Luanda, pelo presidente da ERCA, Adelino Marques de Almeida, no âmbito de um colóquio que reflectiu temas sobre o processo de regulação no espectro rádio-eléctrico e os mecanismos de auto-regulação.

Para si, há necessidade de se institucionalizar a comissão da carteira e ética do jornalista, sendo um instrumento fundamental que vai assolar a auto-regulação da actividade jornalística.

Anunciou a discussão, pelas associações profissionais, dos termos do código deontológico, que serão submetidos em assembleia-geral a fim de serem aprovados.

Esclareceu também que a ERCA, enquanto membro regulado a luz destas matérias, está a trabalhar no sentido da comissão de carteira e do código deontológico do jornalista, sendo um processo que está em curso.

Quanto ainda a auto-regulação, que tem a ver com o código de deontologia profissional, referiu que quando se aprofunda mais a liberdade de imprensa é uma maior responsabilidade a quem exerce a profissão.

Por seu turno, na mesma ocasião, o porta-voz e vice-presidente da Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERCA), Paulo Mateta, considera que com o aprofundamento do processo democrático no país, há uma tendência em surgir mais rádios e televisão, logo vai constituindo preocupações na distribuição dos sinais, quer na rádio, quer em televisão.

Sublinhou, por esta razão, haver necessidade de se reflectir para se saber o que os especialistas pensam sobre estas matérias e suas expectativas sobretudo para aqueles que pretendem criar estes meios de Comunicação Social.

O Colóquio visou efectivamente trazer a luz uma questão crucial no contexto da regulação ao nível do espectro da rádio-eléctrico, onde a rádio e a televisão são os principais utilizadores.

Participaram do evento o director nacional da Comunicação Social, Rui Vasco, professores universitários, prelectores, membros da ERCA e da Comunicação Social, entre outro convidados. (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »