Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Marcelo discursa na Assembleia-Geral da ONU em defesa do multilateralismo

O Presidente da República discursa hoje na 73.ª sessão da Assembleia-Geral da ONU e deverá reiterar a defesa do multilateralismo e do diálogo, razão que o levou a não aplaudir Donald Trump.

“Como verão pela minha intervenção, a minha intervenção vai nesse sentido. E, portanto, em função do sentido da intervenção, é natural que, perante as várias intervenções de outros países, nós reajamos em obediência à nossa orientação fundamental”, disse o próprio Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas, na terça-feira.

O chefe de Estado justificou assim não ter aplaudido a intervenção do Presidente norte-americano na abertura do debate geral desta sessão da Assembleia-Geral da ONU, na qual Donald Trump rejeitou “a ideologia do globalismo”, em favor da “doutrina do patriotismo”.

Marcelo Rebelo de Sousa tem repetido, desde que chegou a Nova Iorque, no domingo, que Portugal subscreve a ação e as prioridades do secretário-geral da ONU, António Guterres, e está empenhado no multilateralismo, no combate contra as alterações climáticas, na resolução do problema das migrações e dos refugiados, no comércio livre, contra o unilateralismo e o protecionismo.

Hoje, o Presidente da República irá discursar pela segunda vez no debate geral entre chefes de Estado e de Governo dos 193 Estados-membros da ONU, no qual se estreou há dois anos, focado, na altura, na candidatura de António Guterres a secretário-geral desta organização.

A sua intervenção está marcada para hoje à tarde, já noite em Lisboa, no mesmo período em que irão discursar os chefes de Estado de Cabo Verde, da Ucrânia, do Quénia e da Polónia, entre outros.

Antes, Marcelo Rebelo de Sousa tem previsto um encontro bilateral com o Presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, e irá participar na cimeira sobre o clima “Um Planeta”, promovida pelo secretário-geral das Nações Unidas e pelo Presidente francês, Emmanuel Macron.

O debate geral deste ano da Assembleia-Geral das Nações Unidas tem como tema “Tornar a ONU relevante para todos: Liderança global e responsabilidade partilhada para sociedades pacíficas, equitativas e sustentáveis”.

O Presidente da República tem voo de regresso a Lisboa hoje à noite.

Em setembro de 2016, na 71.ª sessão da Assembleia-Geral da ONU, Marcelo Rebelo de Sousa fez um discurso em que defendeu que esta organização deveria ter como secretário-geral “um congregador de espíritos e de vontades”, na linha de Mahatma Gandhi e Nelson Mandela.

António Guterres seria escolhido para o cargo menos de um mês depois, iniciando funções em 01 de janeiro de 2017.

No ano passado, foi o primeiro-ministro, António Costa, quem representou o Estado português na 72.ª sessão da Assembleia-Geral da ONU. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »