Radio Calema
InicioCulturaMúsicaIndependência do Brasil "farrada" a forró na Fortaleza de S. Miguel em...

Independência do Brasil “farrada” a forró na Fortaleza de S. Miguel em Luanda

Um espectáculo denominado “Arraiá Bem Brasil”, semelhante às farras de quintal realizadas pelos luandenses, marcou o 7 de Setembro, dia da independência do Brasil, com cantores brasileiros que levaram música e dança forró à antiga Fortaleza de São Miguel, em Luanda, no passado 8 de Setembro.

Organizado pela Aeebran- Associação de Empresários e Executivos Brasileiros em Angola, teve a finalidade de comemorar os 196 anos daquele país da América Latina, a noite de forró aconteceu no pátio do Museu das Forças Armadas, antiga Fortaleza de São Miguel, a entrada da Ilha do Cabo.

A farra brasileira teve como ponto mais alto a actuação da banda Quinteto Sanfónico do Brasil do cantor Targino Gondim, que pela segunda vez esteve no país para animar o 7 de Setembro.

Targino Gondim, a principal atracção da noite, subiu ao palco com a sua banda, dando sequência ao espectáculo. Abriu com a canção “Esperando na Janela”, música que também foi regravada por Gilberto Gil, um dos maiores expoentes da música brasileira. A música, “Esperando na Janela”, fez dançar mais de cem brasileiros, que festejavam mais um ano de Independência. Embora estejam distantes do Brasil, a data não passou despercebida.

Targino Gondim disse que, sempre que for convidado para vir a Angola, não vai hesitar, por estar numa terra cuja cultura é semelhante à do Brasil. “Os angolanos, além de serem acolhedores, sabem estar no espectáculo”, afirmou o cantor.

Embora o estilo musical não fosse tão familiar para os angolanos, quase metade dos espectadores eram nacionais que na Fortaleza acorreram para se juntar à festa nacional do Brasil, numa noite de forró. (Voa)

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.