Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Melhor salário ou mais Função Pública. “Portugueses têm de escolher”

O antigo ministro do Trabalho e das Finanças António Bagão Félix disse hoje que os “portugueses têm de escolher” entre salários mais elevados ou um maior volume de pessoal na Função Pública.

Bagão Félix, ministro em governos PSD/CDS-PP, salientou, em declarações à Lusa, que, “por um lado, é justíssimo reconhecer que a Função Pública, em regra, não tem tido aumentos salariais praticamente desde 2009”.

“Se fizermos as contas, qualquer coisa como 13% a 15% do poder de compra desapareceu”, referiu o economista.

Os sindicatos e o Governo têm negociado aumentos salariais a incluir no Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), com reivindicações superiores a 3%.

No entanto, Bagão Félix acredita que “não se pode ter tudo ao mesmo tempo”.

“Acho que este Governo tem tido uma política de aumento do volume da Função Pública, do número de funcionários, que parece pouco adequada, até como reforma estrutural”, garantiu.

“Os portugueses em termos orçamentais têm que escolher: querem uma Função Pública mais qualificada, com maior grau de produtividade e mais eficiente, ou querem um aumento de volume, e isso tem o efeito de os salários não se poderem aumentar ou não poderem subir tanto por cada um dos funcionários?”, questionou.

O ex-ministro criticou ainda a integração de precários e, sobretudo, as condições em que estão a ser contratados os funcionários públicos.

“A verdadeira reforma do Estado ao nível do seu aparelho é a requalificação, o que é que temos hoje e não é só com este Governo? É mais pessoal, mas uma média de requalificação mais baixa, porque entretanto as pessoas mais velhas vão para aposentação”, explicou o economista.

“Pessoas mais novas precisam de experiência e a questão que hoje se coloca é a requalificação. Há uma grande descapitalização na qualificação da Administração Pública e esse é o objectivo fundamental”, alertou.

O economista criticou ainda a gestão da contratação no ensino. “Eu percebo que no domínio da saúde haja necessidade de mais pessoal no aumento de cuidados geriátricos e continuados. Mas, por exemplo, na educação há cada vez menos alunos”, referiu.

“Precisamos de melhoria das qualificações e objectivos bem focados e não ter o Ministério da Educação como refém dos sindicatos”, apontou o ex-ministro.

Bagão Félix esteve nas comemorações do dia nacional do contabilista certificado, promovidas pela Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC), no Porto, a falar de ética e responsabilidade social.

A bastonária da OCC, Paula Franco, disse que esta categoria profissional espera que o OE2019 “inclua muitas” das suas propostas, como por exemplo um novo calendário fiscal “que a realizar-se vai beneficiar todos – a Autoridade Tributária, os contribuintes, os contabilistas e a economia, de uma forma geral”.

A líder da Ordem quer também “mais lealdade” entre os contabilistas certificados. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »