Smiley face

Apresentada proposta da Política do Livro Escolar em Benguela

0 46

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A proposta de Política do Livro Escolar, que visa democratizar o processo de concepção, elaboração e produção dos manuais do ensino geral, através da realização de concursos públicos, para assegurar conteúdos que estejam em conformidade com os programas curriculares e critérios científicos foi apresentada nesta sexta-feira a sociedade benguelense.

O acto público dirigido pelo director do Gabinete Provincial da Educação, Evaristo Calopa Mário, insere-se no âmbito do programa de adequação curricular do Ministério da Educação, cuja finalidade é a recolha de contribuições válidas de diferentes individualidades e organizações da sociedade civil, para o melhoramento e enriquecimento da actual proposta.

O director da Educação realçou que a referida política visa garantir maior disponibilidade do livro escolar durante a realização do processo de ensino-aprendizagem, promovendo o hábito pela leitura, respeito pelo livro e a sua reutilização.

O responsável considerou que a utilização do livro escolar como instrumento do processo de realização, ampliação e aprofundamento da estrutura cognitiva do aluno, inclui a dimensão educativa e instrutiva da pessoa humana.

Na mesma senda, referiu ser também fundamental no processo de ensino e aprendizagem, a formação qualitativa e valorização do professor, bem como a introdução de metodologias coerentes e em consonância com os padrões internacionais e a realidade do país.

Evaristo Calopa afirmou ser preocupação do Executivo Angolano aumentar progressivamente a qualidade no processo de ensino e aprendizagem, no quadro dos programas de desenvolvimento em curso no país, sendo necessário, para tal, a ampliação da população académica com nível elevado de literacia.

A ocasião serviu igualmente para solicitar a participação das famílias angolanas, igrejas, organizações não-governamentais e outras instituições sociais, na sensibilização para a promoção, valorização e conservação do livro escolar, que deverá chegar ao destinatário directamente da Editora sem recurso de intermediários.

A Política do livro Escolar terá vigência de cinco anos.

A Política do Livro Escolar vai abranger os manuais de todos os níveis do ensino geral do subsistema de Educação Pré-escolar, Ensino Geral, Formação de Professores, Técnico-Profissionais e Educação de Adultos, que serão de utilização obrigatória nas instituições de ensino públicas, particulares e comparticipadas.

O encontro contou com a participação de académicos de diferentes níveis de ensino, directores municipais da Educação, de estabelecimentos escolares, entidades eclesiásticas, membros de partidos políticos desta circunscrição e foi orientado por quadros seniores do Ministério da Educação. (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »