Radio Calema
InicioAngolaRegiõesMais de 10 pessoas morrem no Banco de Urgência no Moxico

Mais de 10 pessoas morrem no Banco de Urgência no Moxico

Catorze pessoas morreram de trauma craniano, diabetes, malária, broncopneumonia, febre tifóide, anemia e doenças diarreicas agudas, durante os últimos 14 dias, no Banco de Urgência do Hospital Geral do Moxico (HGM), disse hoje, sexta – feira, no Luena, o chefe da área, Júlio Pedro Mendes.

Em declarações à Angop, o responsável apontou que no pretérito período a unidade hospitalar registou a entrada de dois mil e 23 pacientes com diversas patologias, mais nove em relação ao igual período anterior, sendo mil e 135 adultos e 888 crianças de ambos os sexos.

As infecções respiratórias agudas com 220 (- 75), doenças diarréicas agudas 150 (+ 33), gastrite 72 (-8), agressão física 32 (- 22), síndrome febril, 109, malária 68, febre tifóide, 47, hipertensão arterial, 46, ferimentos diversos 42, Hiv/Sida, 10, foram as patologias que mais registadas no HGM, no referido período.

Já o Centro de Saúde “Jesus Salva”, agregada a Igreja Evangélica dos Irmãos em Angola (IEIA), no período em análise, registou a entrada de 722 pacientes com diversas doenças, menos 60 do homólogo período anterior.

Neste centro hospitalar, a malária com 119 casos, liderou a lista de enfermidades mais frequentes, seguida da hipertensão arterial, 35, doenças respiratórias agudas, 32, febre tifóide, 19, doenças diarreicas agudas 15, gastrite 7 e quatro casos de sarna.

No mesmo período, a instituição humanitária realizou 128 consultas pré – natais, 27 consultas ginecológicas e registou a morte de uma criança causada pela doença diarreica aguda.

Enquanto isso, as autoridades sanitárias da província do Moxico estão engajadas na promoção de palestras de sensibilização contra a malária, no âmbito da implementação do plano estratégico de combate a doença.

Concebidas fundamentalmente, para a presente época chuvosa, as acções visam baixar os mais de trezentos mil casos de enfermidade registados na região, durante o 1º semestre deste ano.

Segundo o Director do gabinete provincial da Saúde, Henrique Ramalho que prestou a informação, a actividade visa igualmente evitar enchentes de pacientes com malária que se tem registado no período das chuvas nas unidades hospitalares da província, chegando a internar três ou mais doentes numa cama, por insuficiência de espaço.

Ressaltou que o referido plano conta com o envolvimento de todas forças vivas da sociedade, pelo facto, de a malária constituir um problema social, sendo as unidades sanitárias, escolas, comunidades, entre outras áreas de maior concentração populacional, os principais grupos alvos.

Fez saber que essas acções são consubstanciadas com a realização de palestras educativas sobre o saneamento básico e campanhas de limpeza e embelezamento das áreas residenciais e de labor.

Para tal, acrescentou, o seu sector em colaboração com as organizações da sociedade civil, instituições públicas estatais e privadas mobilizam os recursos humanos, meios técnicos, com realce para as viaturas de pulverização distribuídas nas unidades sanitárias existentes na província.

Explicou que a distribuição de mosquiteiros também é feita aproveitando as crianças que afluem nos centros maternos infantis para serem vacinadas e as mulheres grávidas que frequentam às consultas pré – natais, cuja responsabilidade desta actividade está atribuída às unidades sanitárias e as direcções municipais da saúde.

Quanto a distribuição massiva destes meios é feita através de um programa financiado pela Agência de Desenvolvimento Internacional dos Estados Unidos (USAID) e implementado pelos Serviços Internacionais para as Populações (PSI), no âmbito do projecto “Saúde Para Todos”.

Iniciado em Julho último, o programa envolve 493 técnicos treinados, entre activistas, formadores comunitários e fiéis de armazéns, prevendo nesta primeira fase de implementação sensibilizar e registar as pessoas a serem beneficiadas em mosquiteiros.

O programa que culminará em Outubro próximo, prevê distribuir 100 mil mosquiteiros já disponíveis no Gabinete Provincial de Saúde e 367 mil e 555 outros mosquiteiros do PSI, sendo um mosquiteiro para cada dois membros da mesma família, indicou.

Salientou, por outro lado, que o Governo Provincial disponibilizou uma verba, cujo valor não foi revelado, para a aquisição de motorizadas e equipamento de fumigação para potenciar o plano de combate à malária a nível dos municípios, comunas e bairros. (Angop)

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.