Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Joana Lina torna-se na 1ª mulher a governar o Huambo

JOANALINA, GOVERNADORA DA PROVÍNCIA DO HUAMBO (FOTO: ALBERTO JULIAO)

Depois de quase 43 anos a ser governada por homens, a província do Huambo, no planalto central angolano, passa a ser dirigida, pela 1ª vez, por uma mulher, nomeada ao cargo hoje, quarta-feira, pelo Presidente da República, João Lourenço.

Trata-se de Joana Lina Ramos Baptista, que até a semana passada ocupava o cargo de 1ª vice-presidente da Assembleia Nacional e que sucede João Baptista Kussumua, que governou a província desde Setembro de 2016.

O ciclo de homens a governar esta província começou com o actual deputado à Assembleia Nacional Agostinho Ndjaka, da bancada do MPLA, entre 1976 e1977, na altura designava-se comissário e não governador.

Seguiram-se Pedro Maria Tonha Pedale (1978-1979), Santana André Pitra Petrof (1979-1982), João Ernesto dos Santos Liberdade (1982-1984), Marques Monocapui Wassovava (1984), Marcolino José Carlos Moco (1984-1986).

A província do Huambo também foi governada por Osvaldo de Jesus Serra Van-Dúnen (1986-1991), Graciano Mande (1991-1992), Baltazar Manuel (1995-1997), António Paulo Cassoma (1997-2008), Albino Malungo (2009-2010), Fernando Faustino Muteka (2010-2014), Kundi Paihama (2014-2016) e João Baptista Kussumua, desde Setembro de 2016.

A nova governadora, natural de Kamabatela, na província do Cuanza Norte, exerceu, entre 1991 a 1997, a função de Secretária de Estado e Promoção e Desenvolvimento da Mulher, sendo Ministra da Família e Promoção da Mulher de 1997 a 1998.

Está também envolvida no associativismo desportivo e social, tendo sido dirigente da Federação Angolana de Futebol, do comité olímpico e paralímpico, do comité da mulher rural e já presidiu a mesa da assembleia da associação dos Economistas. Na filantropia, ajudou a fundar o Fundo Social Lwini, onde faz parte do seu conselho de administração. (Angop)

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »