Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Exposição inédita revela vida de Neto e da família

“Agostinho Neto e a sua família” é o tema de uma exposição fotográfica que está patente, desde o dia 5 até ao final do mês, no primeiro piso do Shopping Avenida, no Morro Bento, em Luanda.

A mostra, que junta mais de 60 fotos, algumas inéditas, a preto e branco, e outras a cor, consta do programa de preparação do centenário do Fundador da Nação, que se assinala em 2022.
Além de Luanda, a exposição pode ser visitada, também, nas cidades de Catete e Caxito, esta última capital da província do Bengo.

A exposição revela quer a cronologia da vida do Poeta Maior, quer da árvore genealógica (com cerca de 100 integrantes), que começa com os avós maternos: António da Silva, natural de Libolo,
província do Cuanza-Sul e Curiva António, pais da mãe de Agostinho Neto, Maria da Silva, natural de Luanda, e os avós paternos: Pedro Agostinho, natural de Calomboloca, e Antónia João, natural de Catete, ambos pais de Agostinho Pedro Neto, natural de Colomboloca, pai de Agostinho Neto.

Todas as fotos são acompanhadas de uma descrição. Entre as mais antigas, estão as de 1924, dois anos depois do nascimento de António Agostinho Neto, em que podemos apreciar o casal, Agostinho Pedro Neto e Maria da Silva (sentada) com o filho António Agostinho Neto, ao colo, na região de
Caxicane, e a mais recente retrata o Presidente Neto a pescar na Ilha do Mussulo, em 1976.

Há, também, fotos da actividade religiosa do pai, Agostinho Pedro Neto, que posa com os colegas e professores metodistas, em 1925, na região de Caxicane, e uma outra em que dezenas de pastores e professores estão defronte a Escola da Missão Americana, da Igreja Metodista, em 1925.

Entre as fotos inéditas, encontramos: Agostinho Neto na sua horta, em Caxicane ao lado do reverendo Robert Shilds (1934); a mãe de Agostinho Neto e as tias Rosa e Felismina da Silva (1924); despedida de familiares e amigos, em Lisboa, na primeira viagem de Maria Eugénia Neto a África (1959); aniversário da filha Irene, em Brazzaville (1963), com Daniel Chipenda, Aníbal de Melo, reverendo Domingos da Silva, Ruth Lara, Tina Dibala, Mário Jorge, Wanda, José e Paulo Lara; encontro familiar entre os filhos de Neto e avós maternos e paternos, na Roménia (1970).

Outras fotos inéditas são de José Mendes de Carvalho, primo de Agostinho Neto, antes de se tornar no comandante Hoji ya Henda, juventude de Maria Ruth Neto, tio Duia; Neto num grupo de estudantes angolanos na Suíça, chegada de Neto de uma viagem internacional recebido pela esposa e pelos camaradas do MPLA na Tanzânia em que o Presidente abraça Mudumane, filho do dr. Américo Boavida.

A exposição apresenta ainda Agostinho Neto com a mãe, Maria da Silva, em Snagov, na Roménia; amigos, partindo ou regressando de uma caçada; com a esposa e os filhos, em Chesieres, na Suíça; em Cabo Verde, no barco que o transportou para o degredo; com os filhos na Roménia.

Em África, as fotografias resumem-se ao antigos Congos Brazzaville e Leopoldville, nos anos 1962 e 1963. Em Portugal, as fotos incidem sobre Coimbra, cidade onde estudou Medicina, na década de 1940.

Objectivo da mostra

De acordo com um dos textos de apresentação da exposição, intitulado Agostinho Neto e os seus variadíssimos roteiros, “as fotos expostas revelam as áreas geográficas por onde se cimentou o nacionalismo de Agostinho Neto. Têm também a valência de exibir os variadíssimos percursos do médico e pai em família, do militante e revolucionário algures nas chanas de Angola, do poeta, diplomata e estadista em diálogo com o futuro, procurando consolidar a identidade e a emancipação do homem africano”, lê-se na exposição.

O estilista Daniel Noloquele considerou a exposição muito atractiva e está num espaço vantajoso que dá acesso a muitas pessoas para a apreciarem. “O conteúdo é explícito, mas, faltou um pouco mais acerca da infância e juventude do Presidente Neto.”

Elisa Gonçalves, funcionária pública, mostrou-se feliz porque onde vive, em Benguela, na véspera do 17 de Setembro “não há actividades dessa natureza, temos que nos deslocar a Luanda para conhecermos mais sobre a vida e obra do primeiro Presidente da República.”

A montagem da exposição é da Fundação Dr. António Agostinho Neto, com a colaboração de Maria Eugénia Neto, Irene Agostinho Neto, Maria Ruth Neto, Irene Alexandra Neto e Doris Blake, que cederam diversas fotos. (Jornal de Angola)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »