Portal de Angola
Informação ao minuto

Acusado associado de Manafort que trabalhou para a Cambridge Analytica

(© Getty Images)

Sam Patten prestou serviços de lóbi e consultadoria a um partido ucraniano pró-Rússia e não comunicou essa actividade, como agente estrangeiro, às autoridades norte-americanas. Ligações ao ex-director da campanha de Trump e à Cambridge Analytica não escaparão à investigação de Robert Mueller, que investiga eventual conluio entre administração Trump e Moscovo.

Um associado de Paul Manafort, ex-director de campanha de Donald Trump, foi acusado pela justiça norte-americana de operar ilegalmente nos Estados Unidos enquanto agente pró-Rússia na Ucrânia.

Sam Patten está acusado de actuar como agente estrangeiro a favor de um partido ucraniano, sem que se tenha registado oficialmente para tal nos Estados Unidos, o que está estipulado na lei.

Segundo a justiça norte-americana, Patten, aliado próximo de Paul Manafort – que também foi conselheiro do mesmo partido ucraniano – está acusado de violar a lei de restrição de agentes estrangeiros dos Estados Unidos.

Para além de actuar como agente pró-Rússia na Ucrânia, Sam Patten, conta o The Guardian, também trabalhou para a Cambridge Analytica, empresa que recolheu ilegalmente dados de utilizadores do Facebook, dados esses que terão sido utilizados pela campanha de Donald Trump para as presidenciais norte-americanas.

A Bloomberg dá ainda conta de uma empresa criada por Sam Patten e Konstantin Kilimnik, um consultor político russo com ligação aos serviços de inteligência. Kilimnik está a ser investigado pelo procurador-especial Robert Mueller, que procura descobrir se houve conluio entre a Rússia e a equipa de Trump para influenciar o resultado das eleições presidenciais de 2016.

A acusação norte-americana diz que esta empresa de Patten recebeu mais de um milhão de dólares para aconselhar o partido ucraniano pró-Rússia e para fazer lóbi junto de políticos norte-americanos . O dinheiro terá sido pago via uma conta offshore em Chipre, pagamento esse feito por um “proeminente oligarca ucraniano”.

Patten terá ainda agendado encontros entre esse oligarca, Kilimnik e oficiais do departamento de estado norte-americano e membros do Congresso.

Sam Patten, que chegou a trabalhar na administração de George W. Bush, trabalhou com Paul Manafort em diversas campanhas políticas na Ucrânia, bem como noutros países, como a Rússia, Geórgia, Iraque e Cazaquistão.

A ligação de Patten a Paul Manafort, considerado culpado de oito acusações de evasão fiscal e fraude bancária, não escapará ao procurador-especial Robert Mueller. O ex-director de campanha do actual presidente norte-americano ainda está sob investigação relativamente ao possível conluio de Moscovo com a equipa de Trump. (Notícias ao Minuto)

por Pedro Bastos Reis

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »