Smiley face

UNITA agradece papel de Kofi Annan na procura de diálogo entre angolanos

0 27

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A UNITA reconheceu hoje, “com muita gratidão”, a “grande contribuição” do antigo secretário-geral da ONU Kofi Annan, que morreu no sábado, “na procura de diálogo entre angolanos então desavindos por décadas de um conflito sangrento”.

Num comunicado enviado à agência Lusa, o maior partido da oposição angolana refere que recebeu com “muita tristeza” a notícia da morte de Kofi Annan, ocorrida no sábado na Suíça, considerando que “deixa um enorme vazio no quadro da diplomacia internacional”.

A União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) sublinhou que, prova do empenho de Kofi Annan a favor da paz e reconciliação nacional entre os angolanos, foi a visita a Angola, que incluiu a sua deslocação ao Bailundo para se encontrar e conversar com o Dr. Jonas Malheiro Savimbi (líder fundador da UNITA), nessa histórica localidade”.

“Durante o mandato à frente dos destinos da ONU, Kofi Annan protagonizou iniciativas reformadoras muito importantes da organização internacional. Foi forte opositor às guerras e teve um papel decisivo na busca de soluções que afetavam algumas regiões do mundo desde o período em que chefiou o Departamento da Manutenção da Paz e Segurança da ONU”, frisou a UNITA.

O antigo secretário-geral da Organização das Nações Unidas e prémio Nobel da Paz, em 2001, Kofi Annan, morreu em Berna, Suíça, aos 80 anos.

No decorrer do seu mandato à frente das Nações Unidas, Annan criou, em 2001, o Fundo Global de Luta contra a Sida, Tuberculose e Malária, uma parceria público-privada internacional, para apoiar os países em desenvolvimento.

Em 1962, o diplomata ganês assumiu a direção de Orçamento da Organização Mundial de Saúde (OMS) e regressou às Nações Unidas no final da década de 1980, como secretário-geral adjunto em três posições consecutivas – Gestão dos Recursos Humanos e Coordenador para as Medidas de Segurança do Sistema das Nações Unidas (1987-1990), subsecretário-geral para o Planeamento de Programas, Orçamento e Finanças e de Controlador (1990-1992) e responsável pelas Operações de Manutenção da Paz (1993-1996).

Após deixar a ONU, foi enviado especial das Nações Unidas para a Síria, onde liderou os trabalhos para se encontrar uma solução pacífica para o conflito. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »