Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Austeridade acabou na Grécia mas as reformas devem prosseguir

O comissário europeu para os Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, assegurou hoje, um dia antes do encerramento do programa de resgate à Grécia, que a austeridade “acabou”, mas que o país deve continuar a aplicar reformas económicas.

“Claramente, a realidade no terreno continua a ser difícil. O tempo de austeridade acabou, mas o fim do programa não é o fim do caminho das reformas”, disse, em comunicado, Pierre Moscovici.

De acordo com o comissário europeu, “ainda há muito trabalho a ser feito para que a Grécia possa sustentar-se”, sublinhando que “reduzir a dívida pública e continuar as reformas deve ser a principal prioridade do Governo grego”.

Moscovici assegurou ainda que o programa de monitorização que será aplicado à Grécia não constitui um quarto resgate “disfarçado”, nem “implica novas medidas ou reformas”.

Para o comissário, a conclusão do programa representa “um momento histórico” para a Grécia e para toda a Europa.

Também hoje, o director do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE), Klaus Regling, congratulou-se com a recuperação da autonomia da Grécia, na saída do último programa de resgate, apontando que o país será “uma história de êxito”.

“Há algum tempo nada faria crer que Portugal, Espanha, Irlanda e Chipre seriam histórias de êxito. Refiro-me sempre a estes países como as nossas quatro histórias de sucesso. Agora poderei incluir a Grécia neste grupo”, seguindo sempre as reformas acordadas, disse Klaus Regling ao diário grego News247.

Klaus Regling lembrou ainda a importância de a Grécia continuar as reformas realizadas e concretizar os compromissos firmados com as instituições credoras.

A Grécia concretiza na segunda-feira a saída do seu terceiro programa de assistência, numa data histórica para o país e para a zona euro, que vira a página sobre oito anos de resgates.

A Grécia, o país europeu mais atingido pela crise económica e financeira, foi o primeiro e último a pedir assistência financeira – e o único “reincidente” -, e a conclusão do seu terceiro programa assinala também o fim do ciclo de resgates a países do euro iniciado em 2010, e que abrangeu também Portugal (2011-2014), Irlanda, Espanha e Chipre. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »