Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Ex- funcionários da BEL prometem marchar até a Cidade Alta

Os membros da comissão representante dos ex-trabalhadores da Brigada Especial de Limpeza (BEL), empresa de limpesa e saneamento, afecta a Casa de Segurança da Presiência da República, manifestaram hoje, em conferência de imprensa, o seu desagrado pela forma “menos séria” como estão a ser tratados na questão indemnizatória dos mais de 1500 funcionários demitos, e prometem marchar sábado, 25, até a Cidade Alta, com vista a manifestar oo seu desagrado junto do Chefe de Estado, manifestou António Mateus Calubombe, membro da comissão.

“O que não percebemos é a forma que a empresa trata os ex-funcioários, na sua maioria ex-militares da FAPLA e da Unidade de Guarda Presidencial (UGP), que muito deram para o país, muitos de nós éramos membros da segurança do presidente Agostinho Neto e eu em particular fui até membro da segurança do ex- presidente José Eduardo dos Santos”, reclamaram

“Infelizmente”, disse António de Sousa, “tomamos conhecimento através de alguns colegas que a direcção da empresa está a negociar com alguns desatentos que deveriam receber pelo menos 3 milhões kwanzas de indemnização, e pela carência de vida, estão a aceitar receber 92 mil kwanzas. A BEL está a negociar com alguns antigos funcionários demitidos, com a intenção de diminuir o valor estipulado pelo Tribunal”, acusou.

Por sua vez, Rafael Domingos fez saber que a reclamação é do conhecimento da presidência da República, uma vez que existe um despacho do ex-ministro do Estado e Chefe da Casa Civil do antigo presidente da República, Helder Vieira Dias “Kopelipa”, a orientar o pagamento da dívida e consequente enquadramento na Caixa social aos funcionários cuja idade permite.

“Estamos apenas a reivindicar o valor contido na acção executiva para pagamento da quantia estimada em oito biliões duzentos e noventa e seis milhões e cento e cinquenta e cinco mil e noventa e oito kwanzas, que a própria BEL já reconheceu dever e que o Tribunal ordenou que seja depositado nas nossas contas”, avançou.

Entretanto apesar de terem agendado uma reunião com o Comandante Provincial de Luanda, António Maria Sita, os ex-funcionários prometem não recuar quanto à marcha aprazada para sábado, 25.
“independentemente do que for tratado com o comandante iremos marchar até a Cidade Alta, a menos que os valores estejam na conta do tribunal”, sentenciou. (Portal de Angola)

por Osvaldo de Nascimento

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »