Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Saúde regista mais de mil casos de infecções sexualmente transmissíveis em Malanje

Mil e 933 casos de infecções transmissíveis sexualmente (ITS) foram registados em Malanje pelo Departamento de Saúde Reprodutiva do Gabinete Provincial da Saúde, durante o primeiro semestre do ano em curso, mais 339 em relação ao igual período de 2017).

A informação foi avançada terça-feira, nesta cidade, pela coordenadora do Programa de Saúde Reprodutiva do Gabinete Provincial da Saúde, Assunção Magalhães, explicando que a faixa etária mais afectada é dos 15 aos 30 anos de idade, com maior incidência ao sexo feminino.

Dos casos, de acordo com a responsável, destacam-se cancro mole, hepatite B, sífilis, herpes genital, tricomoniase, gonorreia, entre outras, sendo o município de Malanje o mais afectado.

Face a situação e a complexidade dos casos, Assunção Magalhães considerou as ITS como um problema de saúde pública, pelo que deve envolver toda a sociedade nas formas de prevenção e no seu combate.

Por outro lado, alertou que a presença de corrimento anormal, irritação e verrugas nos órgãos genitais, aliado a dificuldades em urinar, bem como dores durante o acto sexual e no baixo-ventre, como indícios de alguma doença sexualmente transmissível, daí que a mulher deve procurar assistência médica, de modo a prevenir eventuais consequências no sistema reprodutivo.

Sublinhou que as consequências das ITS na mulher podem ser infertilidade, abortos constantes, partos prematuros, má formação congénita do bebé, conjuntivite no bebé, entre outras, podendo levar a morte do recém-nascido e da mãe quando grave.

No homem, acrescentou, as doenças sexualmente transmissíveis podem desencadear em impotência sexual e infertilidade.

Disse, por outro lado, que o tratamento deve envolver simultaneamente os parceiros sexuais, mesmo que uma das partes não tenha quaisquer sintoma, pois desta forma, evita-se a transmissão e complicações graves.

Assunção Magalhães aconselhou os parceiros a cultivar o hábito pelo diálogo aberto sobre sexualidade, sobretudo quanto aos sintomas de doenças para que juntos busquem ajuda médica.

As formas de prevenção são essencialmente o uso de preservativo durante o sexo, abstinência sexual e fidelidade ao parceiro. (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »