Portal de Angola
Informação ao minuto

ONU espera que países vizinhos continuem a acolher venezuelanos

(© Reuters)

A ONU afirmou hoje esperar que todos os países vizinhos da Venezuela continuem a mostrar disponibilidade para acolher as pessoas que fogem da crise vivida actualmente no território venezuelano, manifestando ainda vontade para apoiar tal esforço.

O porta-voz das Nações Unidas, Farhan Haq, declarou que a organização internacional está a encarar com “preocupação” o elevado número de pessoas que está a sair da Venezuela à procura de “melhores condições” de vida.

A Venezuela, país que conta com uma importante comunidade portuguesa, atravessa uma grave crise económica, social e humanitária que já obrigou milhares de pessoas a fugirem daquele território, atravessando as fronteiras em direcção ao Brasil, Colômbia, Equador, Peru ou Chile.

“Esperamos que todos os países vizinhos mantenham as suas portas abertas e estamos preparados para ajudar no apoio das pessoas que atravessam as fronteiras”, disse Farhan Haq, quando questionado sobre o assunto durante a conferência de imprensa diária na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque.

O porta-voz da ONU fez uma referência concreta ao Equador, que declarou na semana passada o estado de emergência em algumas províncias, devido ao elevado número de venezuelanos a cruzar a fronteira norte do país.

“Estamos agradecidos ao povo e ao Governo do Equador pela sua generosidade e por permitirem que os venezuelanos em situação de necessidade entrem no país”, prosseguiu Farhan Haq.

Na passada sexta-feira, a Organização Internacional para as Migrações (OIM) indicou que mais de 5.000 venezuelanos estão a chegar todos os dias ao Equador desde o início do mês de Agosto.

Sobre a situação política na Venezuela, e após a tentativa de ataque denunciada no início de Agosto pelo Presidente Nicolás Maduro e as consequentes detenções realizadas pelas autoridades de Caracas, o representante assegurou que a ONU está preocupada com os últimos acontecimentos e que rejeita “qualquer ato de violência”.

O porta-voz reiterou o pedido do secretário-geral da ONU, António Guterres, para que “todos os actores venezuelanos façam todos os esforços para procurar consensos e responder aos muitos problemas do país, defendendo os direitos humanos de todos os venezuelanos e ao abrigo do Estado de direito”. (Notícias aos Minutos)

por Lusa

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »