- Publicidade-
InicioMundo LusófonoBrasilBrasil autoriza construção de segunda central termoelétrica a gás natural

Brasil autoriza construção de segunda central termoelétrica a gás natural

O Governo brasileiro autorizou na segunda-feira a construção de uma segunda central termoelétrica a gás natural no Porto do Açu, no litoral norte do Rio de Janeiro, com uma capacidade de geração de energia até 3.000 megawatts (MW).

A verificar-se esta capacidade de produção, a central do Açu será o maior parque termoelétrico da América Latina, garantiu o consórcio Gás Natural Açu, uma parceria entre a empresa brasileira Prumo Logística e as multinacionais BP e Siemens, responsáveis pelo projeto.

Em março, começou a ser construída a primeira central no Porto do Açu, um complexo portuário, energético e industrial, com uma capacidade de geração de energia de 1.300 MW.

A autorização para a construção de uma segunda central foi dada na segunda-feira pelo ministro de Minas e Energia do Brasil, Wellington Moreira Franco.

Esta segunda central, a GNA II, terá uma capacidade de gerar 1.673 megawatts de energia, de acordo com fontes empresarias citadas pela agência de notícias espanhola Efe.

“Estamos a trabalhar para garantir energia barata e limpa no Brasil e as perspetivas são muito animadoras”, afirmou Wellington Moreira Franco na cerimónia de assinatura do acordo.

A GNA recebeu a concessão para construir a nova central termoelétrica num leilão promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica em dezembro de 2017, comprometendo-se a colocar a segunda central operacional em janeiro de 2023.

O presidente da Prumo Logística, José Magela, garantiu que o consórcio vai investir no total 8 mil milhões de reais (2,162 mil milhões de euros). A primeira central estará em funcionamento em 2021 e a segunda em 2023, disse José Magela. (Diário de Notícias)

por Lusa

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.