- Publicidade-
InicioAngolaPolíticaDestacada cooperação entre angolanos e cubanos

Destacada cooperação entre angolanos e cubanos

A cooperação entre os povos angolano e cubano tem permitido a resolução de muitos problemas sociais, como o combate ao analfabetismo e a melhoria da assistência médica e medicamentosa em várias zonas da província do Cuando Cubango.

A afirmação foi feita quinta-feira, em Menongue, pelo governador do Cuando Cubango em exercício, Bento Francisco Xavier, na cerimónia da celebração dos 53 anos do assalto aos quartéis de Moncada e Carlos Manuel de Céspedes.

Reiterou que Angola vai continuar a precisar da cooperação cubana na formação de novos quadros, sobretudo nos sectores da educação e saúde, porquanto tem uma vasta experiência nestas áreas.

“Angola só vai continuar a ser forte a nível de África se os irmãos cubanos continuarem a caminhar connosco. Temos de ter em conta os muitos quadros que o país tem foram formados em Cuba”, afirmou.

Disse que Angola não seria o que hoje é se o comandante Fidel de Castro e o António Agostinho Neto não definissem uma estratégia que trouxe o país até ao momento actual.

“Cuba ontem e hoje na luta contra a fome, a miséria, o analfabetismo, com a certeza que continuando no mesmo sentido patriótico, os dois povos sairão a ganhar”, acrescentou.

O responsável argumentou não ser necessário fazer que se diga muito para entender a relação entre os povos angolano e cubano, porquanto as relações existentes duram desde os primórdios anos da revolução angolana.

Adiantou que a celebração dos 65 anos do assalto aos quartéis Moncada e Céspedes revela a memória eterna dos grandes heróis que desde muito cedo tinham por objectivo desencadear a luta contra o domínio ditador.

Sublinhou que, dentre estes heróis se pode destacar a gravura e a determinação, sobretudo o sentido patriótico do líder inesquecível e pai da revolução cubana, Fidel de Castro, que com o espírito de vencer ou ser vencido, não desistiu por um movimento que ele estava convicto de qualquer das formas.

Bento Francisco Xavier precisou que essa resistência visou a abertura de um caminho a percorrer para a liberdade dos povos cubanos até a independência. (Angop)

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.