Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Destacado papel da formação das IES para equidade social e democracia

A formação é um compromisso e responsabilidade social para a equidade, democracia e mobilidade humana, daí o papel preponderante das Instituições de Ensino Superior (IES) nesse desiderato, considerou, no Lubango, a secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal, Maria Rollo.

A gestora que falava quarta-feira, no segundo dia do 28º encontro da Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP), promovido pela Universidade Mandume Ya Ndemufayo (UMN) disse que a ciência e o conhecimento constituem um compromisso social e a democratização do acesso a formação e ao conhecimento é o patamar mínimo do compromisso com o desenvolvimento.

“É nossa responsabilidade defender o conhecimento como um bem público, um conhecimento um património universal, que nos aproxima. O conhecimento científico é aquilo que aprendemos, ensinamos, quando é financiado por fundos públicos tem de cumprir a sua missão de servir a todos”, realçou.

Maria Rollo afirmou que a AULP e as suas instituições são chamadas como um “bem” que constituem um património real, material, imaterial, do conhecimento, algumas seculares e outras recentes, mas todas portadoras da missão.

Salientou que o conjunto de instituições do ensino superior estabelece uma dimensão de representação identitária social, que “somos obrigados a reflectir sobre a escala sul e sul e sobre o nosso papel, quando pensamos nas dimensões, a distribuição e produção de conhecimento na escala universal”, continuou.

Referiu que se vive um momento de oportunidades, constituído pela população de língua portuguesa, que soma em cada ano, de perto de 261 milhões actualmente, para 380 milhões em 2058, sendo uma oportunidade que não pode ser desperdiçada, num idioma que é herança e futuro em comum da comunidade.

Apontou para a necessidade de continuar o esforço colaborativo entre instituições que têm de observar a relação com as sociedades, comuns e diferentes, com a capacidade de valorizar cada identidade por si mesma e reconhecê-la no contexto de humanidade que aproxima as pessoas.

Apelou aos participantes a serem firmes naquilo que é a sua identidade, a ciência em português, o territórios e a capacidade de ser todas instituições de ensino superior, mas cada uma singular na sua forma específica de construir o conhecimento com as pessoas que tem na sua proximidade.

A conferência, que vai até ao dia 20 de Julho, esta sexta-feira, decorre sob o lema “ Património Histórico do Espaço Lusófono, Ciência arte e Cultura”, conta com a participação de académicos dos países de língua portuguesa como Brasil, Portugal, Cabo Verde, Timor Leste, São Tomé e Príncipe, Moçambique, Guiné-Bissau, Macau e a anfitriã, Angola. (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »