- Publicidade-
InicioMundo LusófonoBrasilLíderes latino-americanos defendem liberdade de Lula em Cuba

Líderes latino-americanos defendem liberdade de Lula em Cuba

Líderes de esquerda de diversos países latino-americanos que participaram do 24º Encontro do Foro de São Paulo em Havana defenderam com vigor, nesta terça-feira, 17, o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, preso há 100 dias em Curitiba e visto por colegas e simpatizantes como alvo de uma perseguição política.

Nicolás Maduro, o presidente da Venezuela, foi um dos mais enfáticos em seu discurso de apoio, afirmando que Lula estaria sendo escondido em uma masmorra para que não pudesse disputar a eleição presidencial no Brasil em outubro, a qual ele ganharia. Declarações parecidas foram feitas pelos chefes de Estado de Bolívia, El Salvador e Cuba.

“A detenção ilegal do irmão Lula, apesar do habeas corpus que lhe devolveu sua liberdade, demonstra que há um Plano Condor judicial e midiático dos EUA e da direita regional para perseguir e eliminar politicamente líderes da esquerda, como Correa, Dilma e Cristina”, afirmou o líder boliviano Evo Morales, comparando a situação do Brasil com a de Argentina e Equador.

Já o atual líder cubano, Miguel Díaz-Canel, lembrou, pedindo a liberdade de Lula, que o ex-chefe de Estado brasileiro foi, ao lado de Fidel Castro, um dos criadores do Foro de São Paulo, conferência que, há 28 anos, reúne partidos e organizações de esquerda da América Latina em uma tentativa de encontrar novos caminhos para a luta contra o neoliberalismo na região.

“O Foro de São Paulo nos convoca mais uma vez, como um protagonista político essencial e um espaço para a construção de alternativas políticas na região”, disse ele, citado pelo Cubadebate, frisando que a esquerda hoje enfrenta o desafio de salvar os avanços conquistados.

“O desafio é continuar no avanço progressista utilizando toda nossa experiência, conquistar com as ideias da mudança todos os espaços de luta e debate. O projeto político, humano e progressista das grandes maiorias populares é legítimo e irrevogável”, declarou Salvador Sánchez Cerén, presidente salvadorenho.

O 24º Encontro do Foro de São Paulo, realizado entre domingo e hoje na capital cubana, reuniu mais de 600 delegados de América Latina, América do Norte, Europa, Ásia e África para um amplo debate sobre o papel da esquerda no continente americano. O Brasil foi representado no evento por membros do PT, PCdoB, PSOL e PDT, segundo a revista Fórum.

“O XXIV Foro de São Paulo conseguiu a ideia original de Fidel e Lula. Com a diversidade como fortaleza, devemos continuar a construção de um espaço de luta e união revolucionária para fazer frente ao imperialismo e conquistar a felicidade de nossos povos.” (Sputnik)

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.