- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Destaques BNA reduz taxa de juros a 16,5% e reservas obrigatórias

BNA reduz taxa de juros a 16,5% e reservas obrigatórias

O Banco Nacional de Angola (BNA) reduziu hoje (terça-feira) a taxa de juro de 18% para 16,5 por cento e baixou igualmente o coeficiente de reservas obrigatórias de 19% para 17 por cento.

A medida foi adoptada no final da reunião do Comité de Política Monetária (CPM) do Banco Central, depois de analisados os principais indicadores de conjuntura, como a taxa de inflação nacional que regista uma redução pelo oitavo mês consecutivo, câmbio, entre outros.

Também contribuíram para esta redução dos juros e do coeficiente de reservas, as projecções que apontam para que a mesma se situe abaixo do previsto na Programação Macroeconómica Executiva para o ano (23%). Adicionalmente, espera-se uma tendência para a redução das taxas de juro de crédito na economia.

Desde Dezembro último que a taxa de juro BNA não sofria alterações, depois de ter subido de 16% para 18 por cento em Novembro de 2017, medida tomada para controlar naquela altura a subida inflação acumulada.

Em Maio último, o Banco Central decidiu reduzir o coeficiente de reservas obrigatórias de 21 por cento para 17 por cento, com vista a aumentar liquidez dos bancos comerciais e consequentemente o crédito à economia.

Na reunião realizada hoje (terça-feira, dia 17 de Julho), de acordo com o comunicado de imprensa do BNA, produzido no final do encontro, CPM decidiu manter também a taxa de juro da Facilidade Permanente de Absorção de Liquidez inalterada.

O IPCN (Índice de Preços no Consumidor Nacional), que inclui todas as províncias, registou uma variação mensal de 1,26% no mês de Junho, inferior à registada no mês anterior (-0,01 p.p.) e uma variação homóloga de 19,52% nos últimos 12 meses (-0,32 p.p.).

As províncias que apresentaram as maiores variações mensais foram: Malanje (2,63%), Bengo (2,38%) e Moxico (1,92%), tendo as províncias da Lunda Sul (0,77%), Namibe (0,86%) e Cuando Cubango (0,86%) registado as menores variações. No que diz respeito ao panorama geral do IPCN por classes, constatou-se que a maior variação mensal de preços foi observada na classe de Vestuário e Calçado (1,99%).

A Base Monetária em Moeda Nacional, variável operacional da política monetária, contraiu 7,75%, em Junho de 2018 e 4,58% em termos homólogos face a Junho de 2017.

No mercado monetário interbancário, observou-se, no mês de Junho de 2018, uma redução de 9,49% dos montantes transaccionados, totalizando um fluxo de AKz 752,64 mil milhões. A LUIBOR, na maturidade overnight, situou-se em 21,27%, o que representa um aumento face ao nível em que se encontrava no início do ano (17,77%).

O agregado monetário M2, que congrega a totalidade dos depósitos bancários em moeda nacional e as notas e moedas em poder do público, reduziu durante o mês de Junho em AKz 58,55 mil milhões.

Com efeito, passou de AKz 4.499,73 mil milhões em Maio para AKz 4.441,18 mil milhões em Junho de 2018, o que corresponde a uma diminuição de 1,30%. Nos últimos 12 meses, este indicador variou positivamente em 1,88%. (Angop)

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.