Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Terminou com “sucesso” cimeira entre Putin e Trump

Os dois líderes estiveram reunidos durante mais de duas horas, num encontro onde só os tradutores estiveram presentes.

Terminou o encontro entre Donald Trump e Vladimir Putin, uma cimeira que começou por ser considerada como essencial para reabilitar as relações entre os dois países. Na conferência de imprensa conjunta no final da reunião entre os dois homólogos, o presidente russo defendeu a mesma ideia e ambos se referiram ao encontro como tendo sido “um sucesso”.

“As conversações que mantivemos reflectem um desejo de restaurar a confiança”, disse Putin após defender ser necessário haver uma cooperação entre os dois países em áreas como a defesa, na segurança mundial, na luta contra o terrorismo e no ciberterrorismo.

“Hoje nas conversações que tivemos decidimos corrigir todos os aspectos negativos entre a América e a Rússia e regressar à cooperação positiva entre todas as questões que são importantes para os dois países”, continuou o líder russo, referindo ainda que as negociações com Trump foram “os primeiros passos para melhorar a relação” entre ambos e que estas reflectem “um desejo de restaurar a confiança” entre ambos.

Putin referiu ainda ser necessário um trabalho conjunto no desarmamento nuclear e disse ainda estar agradado de a situação com a Coreia do Norte se estar a “começar a resolver”, uma situação que Trump depois confirmou que os dois países querem resolver.

“Ainda ficaram muitos problemas por abordar, pois não é possível encontrar respostas num prazo tão curto, mas chegámos a vários pontos e propostas positivas”, rematou Putin.

Do lado dos Estados Unidos, Donald Trump reconheceu que a relação entre os dois países “mudou” após o encontro, acrescentando que essa reunião foi “o primeiro passo de um longo processo”. Para Trump os Estados Unidos e a Rússia têm ainda de encontrar formas de “cooperar em prol de interesses comuns”.

Trump terá ainda levantado a questão da alegada ingerência russa nas presidenciais norte-americanas em 2016, referindo que houve “zero conluios” com a Rússia”. Uma ideia que foi apoiada pelo homólogo: “A Rússia nunca interferiu nas eleições americanas e nunca teve essa intenção. Se existem provas vamos ver e analisar essas provas”.

“Hoje, foi um dia muito construtivo e acredito que nos vamos encontrar novamente no futuro”, disse ainda o líder norte-americano.

Os dois chefes de Estado reuniram-se durante mais de duas horas, num encontro a dois só com os tradutores presentes, na residência oficial do chefe de Estado da Finlândia, Sauli Niinisto e foi seguido de um almoço de trabalho.

Recorde que no final do encontro privado entre os dois líderes, para o qual a Casa Branca tinha previsto 90 minutos e que acabou por durar mais de duas horas, o presidente norte-americano, Donald Trump, disse ainda que ele e o homólogo russo, Vladimir Putin, tiveram um “começo muito bom” na cimeira em Helsínquia.

A cidade tem uma longa a tradição de acolhimento de encontros entre presidentes norte-americanos e russos, este é o quarto par depois de Gerald Ford e Léonid Brejnev (1975), George Bush e Mikhail Gorbatchev (1990) e Bill Clinton e Boris Ieltsin (1997). (Notícias ao Minuto)
por Sara Gouveia

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »