Portal de Angola
Informação ao minuto

SME abre 27 processos de transgressões migratórias

Edifício do Serviço de Migração e Estrangeiros de Angola (Foto: José Falso)

O Serviço de Migração e Estrangeiros na província do Huambo promoveu, nos últimos três meses, a abertura de 27 processos de transgressões migratórias, mais quatro em relação ao idêntico período anterior.

A informação foi prestada hoje, em conferência de imprensa, pelo director local do SME, sub-comissário de migração Randal Mindoux Mouzinho, tendo explicado que dos processos resultaram a aplicação de igual número de multas a 26 cidadãos de diversas nacionalidades e uma empresa de capital estrangeiro, cujos valores, não especificados, já foram depositados na Conta Única do Tesouro.

Outra acção não menos importante registada nos últimos três meses, segundo o responsável, foi o facto de dois cidadãos de nacionalidade Conacri-guineense terem sido encaminhados ao centro de detenção, em Luanda, para serem repatriados, ambos pelo crime de falta e falsificação de documentos.

O sub-comissário Randal Mindoux Mouzinho admitiu terem devidamente o controlo dos estrangeiros na província, através de uma base de dados dos seus movimentos e outros meios, caracterizando de regular e estável a situação migratória do planalto central, a julgar pela localização geográfica.

Normalmente, explicou, os estrangeiros que entram nesta província chegam em situação legal, mas muitos, depois, ficam em situação ilegal por vários motivos, apelando, deste modo, a população no sentido de prestar maior contributo no controlo dos estrangeiros e no combate à imigração ilegal.

Neste sentido, deu a conhecer que dois mil e 209 cidadãos de nacionalidades e estatutos diversos estiveram sob controlo do Serviço de Migração e Estrangeiros (SME), na província do Huambo, entre os meses de Abril e Junho deste ano, mais 10 em relação ao igual período anterior.

Deste número, segundo ele, 764 possuem visto de trabalho, 277 de permanência temporária, 257 de residentes, sete de privilegiados, três de estudo, um múltiplo e 900 com estatuto de refugiados, 90 porcento dos quais de países do oeste do continente.

Além dos provenientes do oeste de África, principalmente do Mali, Guiné Conacri, Mauritânia, Nigéria e Senegal, a lista de estrangeiros controlados inclui chineses, portugueses, cubanos, vietnamitas e brasileiros. (Angop)

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »