Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Juiz espanhol confirma corrupção de milhões de dólares envolvendo entidades angolanas

“Não há dúvidas que houve pagamentos ilicitos a funcionários publicos angolanos”. Mandato de captura contra cidadão luso – angolano conhecido como “el conseguidor”

Um juíz espanhol indiciou hoje 27 pessoas, incluindo um cidadão luso-angolano, por alegado desvio de 41 milhões de Euros em comissões de contratos de fornecimento de material policial a Angola, em 2008.

O cidadão luso-angolano, que vive actualmente em Luanda, é Oliveira Taveira Pinto, e é alvo de um mandato de “busca e apreensão” internacional por parte das autoridades espanholas

General Armando da Cruz Neto

Taveira Pinto era alegadamente o gestor de todos os pagamentos ilícitos feitos a funcionários angolanos e era conhecido como “el conseguidor” dos contratos com Angola.

Segundo notícias anteriores, entre os beneficiados do esquema de sobrefacturação ao governo angolano estariam o antigo embaixador angolano na Espanha, Armando da Cruz Neto, o comissário chefe da polícia Ambrósio Lemos e várias personalidades espanholas.

As autoridades espanholas disseram anteriormente que como beneficiários desses fundos figuram os acusados espanhóis e o que chamaram de “familiares de funcionários públicos da República de Angola”.

Em tribunal, durante a fase de inquerito, foi dito que uma das pessoas que terá alegadamente recebido fundos desse negócio é o general Armando da Cruz Neto, que foi Embaixador de Angola na Espanha, entre 2003 e 2008, e mais tarde governador de Benguela.

A Unidade Central Operacional da Guarda Civil espanhola disse anteriormente que duas empresas envolvidas cobriram as despesas médicas e de alojamento, em Madrid, de Ambrósio de Lemos, comissário da polícia nacional angolana, de sua esposa, Ana Freire, e de um parente não identificado.

Segundo a imprensa espanhola, as autoridades policiais do país disseram que Ambrósio de Lemos embolsou três milhões de Euros por esse contrato e a sua esposa recebeu 15 mil euros.

As autoridades do Luxemburgo, que detectaram as transferências de milhões de Euros despoletando o escândalo, disseram que houve uma transferência de três milhões de Euros para uma companhia denominada Abangol, que se presume seja uma companhia fantasma.

Na sua decisão de hoje o juiz disse não ter quaisquer dúvidas que operações levadas a cabo pela companhia espanhola UTE Cueto-Defex em Angola “consistiam em conseguir contratos públicos para a empresa pública (espanhola) Defex, mediante o pagamento de comissões ilícitas à autoridades e funcionários públicos angolanos”, mas não foram mencionados nomes.

Sociedades fictícias

O juiz José de La Mata, na sua decisão hoje, disse que Taveira Pinto era o responsável de “montar e gerir uma boa parte da estrutura de sociedades fictícias e preparar toda a classe de facturas falsas para dar cobertura aos pagamentos”.

Taveira Pinto era também a pessoa que recebia os fundos retirados dos contratos para posterior distribuição.

Além dos 27 indiciados, o juiz acusou também formalmente três empresas, nomeadamente a Defex, Comercial Cueto 92 e Global Reach.

Todos foram acusados de “apropriação indevida, peculato, branqueamento, falsidade e delito de organização de grupo criminal”.

Entre os acusados contam-se o antigo director da Defex José Ignacio Ensinas e a advogada Beatriz Garcia Paesa, que alegadamente a partir do Luxemburgo movimentava fundos para diversas contas através do mundo.

Visita papal

As acusações são referentes a um contrato de 2008 para fornecimento em material policia no valor de 152 milhões de Euros, cujo custo era na verdade de 59 milhões de Euros.

Só uma parte do restante foi destinado á empresa. O resto pagou a entidades e funcionários angolanos e aos próprios acusados espanhóis mediante uma estrutura complexa de empresas fantasmas.

Como consequência das investigações a este caso, as autoridades espanholas detectaram também irregularidades no fornecimento de material policial de quase dois milhões de Euros à Unidade de Segurança Presidencial para a visita do Papa, em 2009, e o fornecimento de outro material á mesma unidade em 2011

Nas suas investigações o juiz fez notar que a companhia Comercial Cueto pagava as viagens de distintas personalidades angolanas, incluindo alojamento e assistentes. (Voa)

1 comentário
  1. Mak Diz

    SIM , O POVO ANGOLANO E AINDA VITIMA DO COLONIALISMO DE NOVOS CONQUISTADORES( FILHOS ) DOS ANTIGOS CAMOES, SALAZARES E DOS SEUS LACAIOS PARENTES COMUNISTAS DE PORTUGAL. E A MAQUINA CONTINUA E MUITO BEM A FUNCIONAR DESDE 1975 ATE AS DATAS DE HOJE 2018 .
    O POVO AUTÓCTONE DE ANGOLA E VITIMA DE COLONIALISMO DESTE GOVERNO CONQUISTADOR DO MPLA-PT COMUNISTA QUE ESPOLIA COM UMA FORCA DE ENERGIA VICIOSA COMO SE FOSSE A MOSCA DE TSE -TSE CERTAS ESPÉCIES DENTRO GOVERNO COLONIAL DO MPLA -PT SAO UMA VERDADEIRA ESPÉCIES DE DINOSSAURO PRIMITIVOS MOSCAS TSE-TSE- VAMPIROS ( MPLA -PT) CARREGAM UMA . ESPECIE DE PARASITA NO SEU EGO MENTAL O PROTOZOARIO QUE CAUSA A TRIPANOSSOMIASE ANGOLANO (A DOENÇA DE POBRE O ANALFABETISMO ACELERADO, O FANATISMO GENETICO) NA SOCIEDADE ANGOLANA.
    E ASSIM QUE O PROCESSO DE COLONIZAÇÃO DE ANGOLA E UMA LONGA CAMINHADA DO GOVERNO MPLA-PT COMUNISTA UMA REALIDADE.
    VIVA O MPLA-PT VIVA OS VAMPIROS COLONOS
    A LUTA CONTINUA E A VITORIA E CERTA O GOVERNO COLONIAL DO MPLA-PT E O POVO E O POVO E O MPLA-PT NA VERSAO COMUNISTA (ESTALINISTA-NETISTA-EDUARDISTA ) SOBRE A DIALÉCTICA DE ESPOLIAÇÃO .

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »