Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Portugal mantém dois milhões de pobres por falta de políticas de inclusão

O presidente da Rede Europeia Anti-Pobreza, padre Agostinho Jardim Moreira, criticou hoje, no Funchal, a falta de políticas governamentais para a inclusão, vincando que o número de pobres em Portugal mantém-se igual há quatro décadas.

“Desde o 25 de Abril mudam os governos, mas as políticas mantêm-se. Mantemos sempre os índices estatísticos [da pobreza] entre os 18% e os 20%. Isto é, andamos a manter dois milhões de pobres no país. Isto não é política”, alertou.

Agostinho Jardim Moreira falava aos jornalistas após a assinatura de um protocolo com a Câmara Municipal do Funchal, que concede à Rede Europeia Anti-Pobreza um apoio de 20 mil euros para criar um programa de formação e elaborar um diagnóstico da situação no município.

“Pretendemos uma Europa de cidadãos, uma Europa de dignidade, uma Europa de toda a pessoa humana”, realçou, acentuando que as situações de pobreza em que caiem as pessoas resultam de “injustiças”, muitas vezes “institucionais”, e também do “modelo político que temos”.

O responsável evocou, por outro lado, um relatório da OCDE – Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico – que indica que são necessárias cinco gerações para tirar uma pessoa da pobreza em Portugal, situação que, segundo disse, “devia envergonhar-nos”.

“Não queremos alimentar a pobreza. Queremos tirar as pessoas da pobreza”, realçou, sublinhando que a Rede Europeia é “apartidária e aconfessional” e opera directamente no terreno, numa “observação científica independente” e em colaboração com “todas as entidades”.

O presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, disse, por seu lado, que o protocolo com a Rede Europeia Anti-Pobreza vai “ajudar a dar substância” às políticas sociais da autarquia.

“Com a vossa experiência, termos uma ajuda em termos de consultadoria e de formação, para lidarmos de uma forma profissional e consciente [com as situações de pobreza] e elaborar um diagnóstico que nos garanta um conhecimento mais profundo da realidade no concelho”, afirmou. (Notícias ao Minuto)
por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »