Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

É tempo de “relação de amor e não mais de ódio” com Portugal, diz Angola

O Jornal de Angola escreve hoje que Angola e Portugal “têm tudo” para “definitivamente” avançar para “uma relação de amor e não mais de ódio”, a propósito da visita a Luanda do primeiro-ministro português, António Costa, prevista para setembro.

Em editorial, intitulado ‘As relações entre Angola e Portugal’, o jornal estatal angolano aborda as reuniões mantidas esta semana, em Lisboa, pelo ministro das Relações Exteriores angolano, Manuel Augusto, com o primeiro-ministro e o Presidente da República.

“Os povos angolano e português têm interesse em que as relações entre Portugal e Angola atinjam um nível que possa dinamizar a cooperação económica entre os dois países”, escreve o jornal, editado pela empresa pública “Edições Novembro”.

Ao mesmo tempo que recorda que “os portugueses têm empresas em Angola” e que os “angolanos têm capitais aplicados em Portugal”, o jornal sublinha que “é por isso do interesse dos empresários de ambos os países que haja boas relações políticas e diplomáticas entre Angola e Portugal”, para “impulsionar, por exemplo, as relações comerciais”.

“Angola e Portugal têm tudo para estabelecer exclusiva e definitivamente uma relação de amor e não mais de ódio. Angola e Portugal têm condições para se constituírem num bom exemplo de cooperação, na base do respeito mútuo”, lê-se no mesmo editorial.

O primeiro-ministro, António Costa, visita Angola a 17 e 18 de setembro, anunciou hoje em Bruxelas o ministro dos Negócios Estrangeiros (MNE), Augusto Santos Silva.

Em Luanda, precisou Santos Silva, Costa irá reunir-se com o Presidente da República de Angola, João Lourenço.

A visita, segundo o ministro, terá “uma componente económica muito importante porque o relacionamento comercial e em termos de investimentos recíprocos de Portugal e de Angola é muito intenso”.

No editorial de hoje, publicado antes do anúncio destas datas, lê-se que as autoridades angolanas e portuguesas “compreenderam, no interesse dos seus povos e países, que era tempo de erradicar obstáculos a uma boa convivência”, o que acontece “numa conjuntura mundial que requer muito diálogo, tendo em conta que há muitos problemas que exigem o empenho de países de diferentes continentes”.

O desanuviamento das relações entre Angola e Portugal surge depois da transferência do processo Operação Fizz, em torno do ex-vice-Presidente angolano, Manuel Vicente, sobre suspeitas de corrupção, como era pretensão do Governo angolano. (Notícias ao Minuto)
por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »