Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Redução da ajuda pública pode comprometer segurança alimentar, diz PM são-tomense

O primeiro-ministro são-tomense, Patrice Trovoada disse esta quinta-feira que o seu governo tem “problemas de sustentabilidade” da política de ajuda alimentar às populações devido à redução, pelos parceiros, da ajuda pública ao desenvolvimento.

Patrice Trovoada sublinhou que o país assumiu “ao longo dos anos” o compromisso de “alimentar 25% da sua população todos os dias uteis”, no quadro do programa de segurança alimentar e eliminação da fome em que “todos os são-tomense tenham acesso permanente a uma alimentação em quantidade e qualidade”.

Essa decisão política que foi assumida ao longo dos anos tem trazido resultados, mas como podem imaginar, no momento em que a ajuda pública ao desenvolvimento tem-se reduzido, nós temos, de fato, o problema da sustentabilidade dessa política”, disse Patrice Trovoada na abertura hoje do primeiro encontro do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSAN).

O chefe do executivo são-tomense lamentou que além da redução da ajuda publica ao desenvolvimento há outro “paradoxo”, sublinhando que a decisão de alimentar todos os dias uteis 25% da população contribuiu para melhorar os indicadores de desenvolvimento humano, considerando que tal medida transformou São Tomé e Príncipe num “país de renda média”.

Mas, do outro lado da moeda apresenta menos acessos a financiamentos concecionais ou a donativos”, acrescenta.

O governante considera, por isso que “o momento é de trabalho e de busca de soluções que devem ultrapassar a exclusiva retórica do financiamento externo, ajuda externa, donativo externo, ir para zonas de maior criatividade, maior compromisso, maior engajamento das autoridades nacionais”.

O primeiro-ministro agradeceu a Portugal, Brasil e Cabo Verde o apoio na “formulação de políticas” para resolver o problema da segurança alimentar no país.

Gostaria de agradecer os Estados membros da CPLP (Brasil, Portugal e Cabo Verde) que têm nos ajudado nessa formulação de políticas e aquisição de conhecimentos para a nível de São Tomé e Príncipe resolvermos o problema da segurança alimentar”.

“Nós estamos convencidos que essa cooperação a nível da CPLP tem capacidade suficiente para contribuir sobremaneira para a solução do problema de São Tomé e Príncipe”, acrescentou Patrice Trovoada.

O chefe do executivo referiu-se as “grandes similitudes a nível climático” entre o seu país, Cabo Verde e Brasil e “afinidades culturais” com Portugal, que permitem “a possibilidade de parceria com outros espaços económicos importantes e que estão presentes em São Tomé e Príncipe”, citando, nesse caso concreto, a União Europeia.

Patrice Trovoada disse que essa cooperação permitiu “a elaboração de uma política coerente de segurança alimentar” e por causa disso o arquipélago tem podido continuar a “alimentar todos os dias úteis 25% da sua população”. (Observador)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »