- Publicidade-
InicioMinistériosMinistério das FinançasMinistro das Finanças visita obras sociais na província

Ministro das Finanças visita obras sociais na província

A insuficiência de escolas, progressão de ravinas, edifícios públicos inacabados e o restauro do troço que liga a cidade do Luena à Escola Superior Politécnica do Moxico foram nesta quarta-feira apresentadas pelo governador provincial, Gonçalves Muandumba, como prioridades para uma intervenção.

Durante a visita de constatação efectuada a alguns locais que necessitam de rápida intervenção, Gonçalves Muandumba, informou ao ministro das Finanças, Archer Mangueira, que o sector da Educação na província enfrenta problemas que vão desde a falta de estabelecimentos de ensino, carteiras, quadros pretos, professores e materiais didácticos.

O governante explicou que a carência de salas de aulas, sobretudo no município sede (Moxico), obriga os alunos a estudarem ao relento e debaixo de árvores.

Para colmatar a situação, disse que o governo provincial decidiu retomar as obras inacabadas da escola primária “Kwenha”, localizada no centro da cidade, para melhor acomodação os mil e 296 alunos matriculados da iniciação à sexta classe.

Quanto aos trabalhos do edifício que deveria albergar as distintas direcções das instituições públicas do governo local, paralisados há mais de cinco anos, o governador acredita que a sua conclusão proporcionará um conforto aos funcionários dos sectores a beneficiar, a julgar pela necessidade que se faz sentir.

O ministro das Finanças, que se encontra em visita de trabalho na província, foi igualmente informado do perigo que representam as ravinas que ameaçam destruir a urbe na próxima época chuvosa.

Para evitar as consequências catastróficas do fenómeno erosivo, Gonçalves Muandumba pediu ao ministro a disponibilização de verbas, o mais rápido possível, no sentido de permitir a sua contenção.

Ao radiografar o troço rodoviário que liga a cidade do Luena à Escola Superior Politécnica do Moxico, o ministro constatou o mau estado que apresenta a estrada de cerca de três quilómetros, com buracos, lombas, areia e poeira, o que cria vários constrangimentos aos estudantes e docentes que circulam diariamente naquele percurso.

Dentre as consequências resultante da circulação na referida estrada, está o aumento dos preços dos taxistas que movimentam à via, avaria constante das viaturas e motociclos dos estudantes universitários e da população residente nas áreas adjacentes da ESPM.

Em resposta, Archer Mangueira, tranquilizou que o Executivo vai priorizar e concretizar algumas acções no domínio da educação, saúde, saneamento básico, construção de estradas, estacamento de ravinas e melhorar o sector de energia e água.

Fez saber que a visita ao Moxico serviu para ter uma visão real das dificuldades sociais e económicas vividas pela população local, com intuito de procurar formas de solucioná-lás, em tempo oportuno.

No Luena, o ministro das Finanças se fez acompanhar de altos funcionários do seu sector, manteve um encontro com o governador provincial, Gonçalves Muandumba, visitou obras de impacto social abandonadas, reuniu com empresários locais, tendo auscultado suas preocupações e identificado as oportunidades de negócios. (Angop)

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.