- Publicidade-
InicioMundoEUADúvidas nos EUA sobre sinceridade da Coreia do Norte em negociações nucleares

Dúvidas nos EUA sobre sinceridade da Coreia do Norte em negociações nucleares

Os serviços de Inteligência americanos têm, segundo a imprensa local, informações de que a Coreia do Norte está tentando ocultar parte de seu arsenal nuclear, mas Washington disse neste domingo que não é “ingénuo” nas negociações com Pyongyang.

O canal NBC e o jornal The Washington Post informaram neste fim de semana, ambos citando fontes do governo, que o regime de Kim Jong-un tomou medidas para continuar ocultando alguns locais nucleares secretos, mesmo depois da reunião de 12 de Junho em Singapura, na qual o líder norte-coreano e o presidente americano, Donald Trump, comprometeram-se a desnuclearizar a península da Coreia.

Segundo a NBC, o regime aumentou a produção de urânio enriquecido nos últimos meses, em paralelo aos contactos que levaram ao histórico encontro entre ambos os líderes.

Segundo os relatórios, os serviços de espionagem americanos obtiveram pistas que permitem concluir que Kim tem a firme intenção de conservar parte de sua reserva nuclear.

A Casa Branca não comentou oficialmente esta informação, mas o conselheiro de Segurança Nacional, John Bolton, não a negou durante uma entrevista neste domingo.

“Simplesmente direi isto: usamos todas as nossas capacidades para entender o que a Coreia do Norte está fazendo”, disse à Fox News.

“Nenhum dos envolvidos nestas negociações é ingénuo. O presidente disse que não repetirá os erros dos governos anteriores”, acrescentou.

A frase possivelmente faz referência aos acordos negociados pelos governos de Bill Clinton e George W. Bush com a Coreia do Norte nos anos 1990 e 2000, que nunca impediram que o país asiático desenvolvesse seu programa nuclear.

Em uma entrevista gravada antes da publicação desta informação e transmitida no domingo, Trump renovou sua confiança no processo.

“Fiz um trato com ele, apertamos as mãos, realmente acredito que está falando sério”, disse o presidente sobre o líder norte-coreano na entrevista da Fox News.

“Acredito que querem fazer isso, temos muito boa química”, acrescentou em referência a um acordo de desnuclearização.

– “Provas inequívocas” –

A reunião de Singapura conseguiu diminuir as tensões não apenas entre os dois países, mas também na região, como demonstra a recente decisão do Japão de reduzir seu nível de defesa contra possíveis mísseis da Coreia do Norte.

Tóquio decidiu, segundo publicou neste domingo o jornal Asahi Shimbun, não implementar navios equipados com sistemas antimísseis Aegis no Mar do Japão. O país também suspendeu suas simulações públicas de evacuação contra possíveis mísseis norte-coreanos.

Mas o aperto de mãos entre Kim e Trump não levou nem a um cronograma nem a termos específicos para o desmantelamento do arsenal nuclear norte-coreano.

Citando funcionários de Inteligência não identificados, a NBC informou que a Coreia do Norte tinha a intenção de “obter qualquer concessão” dos Estados Unidos em vez de abandonar suas armas atómicas.

“Não há evidência de que (os norte-coreanos) estejam reduzindo suas reservas, ou detendo sua produção nuclear”, disse um funcionário americano citado pela NBC.

“Existe uma evidência absolutamente inequívoca de que estão tentando enganar os Estados Unidos”, acrescentou a fonte, embora a Coreia do Norte tenha cessado seus testes nucleares e de mísseis balísticos há vários meses.

O principal centro nuclear da Coreia do Norte é Yongbyon.

O local de referência no estudo da Coreia do Norte 38 North anunciou há alguns dias, com base em imagens de satélite, que Pyongyang continuava as operações em sua planta de enriquecimento e estava em processo de melhorar o centro de pesquisa.

No entanto, adverte o 38 North, este trabalho “não deve ser visto” em relação com a “promessa norte-coreana de desnuclearização”. É possível, segundo o meio, que as equipes nucleares “estejam fazendo o habitual enquanto esperam ordens específicas de Pyongyang”.

A Coreia do Norte explodiu, no fim de maio, Punggye-ri, seu único local de testes nucleares, onde realizou seus seis testes atómicos, em um gesto de boa vontade antes da reunião com os Estados Unidos.

A próxima reunião de alto nível será entre o líder norte-coreano e o secretário de Estado americano, Mike Pompeo.

“Há muito trabalho aqui e lá. Minha equipe já está trabalhando nisso, e voltarei a Pyongyang em breve”, disse Pompeo recentemente. (Afp)

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.