InicioAngolaSociedadePrioridades das comunidades estão relacionadas com questões de saúde - refere relatório

Prioridades das comunidades estão relacionadas com questões de saúde – refere relatório

As principais prioridades dos cidadãos residentes nos municípios de Cubal, Mbanza Congo, Negage, Cassongue, Cela e Balombo estão relacionadas com postos de saúde e medicamentos, escolas e professores, chafarizes ou outros sistemas de água potável e campanhas de registo de nascimento.

Esta informação está expressa no Relatório de avaliação da pobreza – 2017, elaborado pelo Conselho de Igrejas Cristãs em Angola (CICA, nas províncias de Benguela, Cuanza Sul, Uíge e Zaire, apresentado nesta terça-feira, em Luanda.

De acordo com o documento, a situação da crise económica a nível nacional reflecte-se, também, no âmbito local, com a paralisação de programas fundamentais para o desenvolvimento rural, como o Programa de Alfabetização e Ensino de Adultos.

O nível de gozo dos direitos fundamentais tais como educação, saúde, identidade (Registo civil ), acesso a água potável e habitação condigna, entre outros, continua a ser deficitário e requer intervenção do Governo, tanto a nível municipal, como provincial e nacional, salienta o documento.

As comunidades analisadas tem como actividade principal a agricultura familiar que, maioritariamente, prepara a terra de forma manual. Nas aldeias avaliadas existem poucas associações ou cooperativas de camponeses.

O relatório dá conta que as vias de acesso de algumas localidades (como nos municípios de Csssongue, Balongo e Negage) estão em péssimas condições, dificultando o transporte de pessoas e bens, desenvolvimento local, empreendedorismo, acesso aos hospitais, escolas e outros serviços públicos.

Neste contexto, o documento elaborado pelo CICA é de opinião que a percentagem do OGE destinada à educação no ano de 2017 foi de 6,7%, o que está muito abaixo de alguns dos compromissos internacionais de Angola como o compromisso de Dakar que fala de 20 porcento.

Refere que não destinar fundos suficientes para a educação tem consequências directas sobre a população e pode constatar-se nas comunidades avaliadas.

Das 12 localidades avaliadas, três não tem escola de ensino primário e das nove existentes, muitas delas estão em condições precárias ou têm falta de professores.

De acordo com o relatório, a situação a nível da saúde nas aldeias avaliadas é muito preocupante, apenas três têm posto de saúde e há falta de medicamentos.

Os aldeões vêem-se obrigados a percorrer longas distancias (muitas delas acima do rácio indicado pela OMS que é de 10-15 Km) para auferir destes serviços com custos elevados e, muitas vezes, com as vias de acesso em péssimas condições.

Constatou-se em algumas localidades índices muito altos de gravidez precoce, como em Sapenguele com 59,88% das menores.

A cerimónia presidida pela Secretária Geral do Conselho de Igrejas Cristãs em Angola (Cica), reverenda Deolinda Dorca Tecas, contou com a presença de membros do Executivo, deputados à Assembleia Nacional, Procuradoria Geral da República, Organizações não governamentais nacionais e internacionais e lideres religiosos. (Angop)

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.