InicioAngolaSociedadeAutomobilistas insatisfeitos com o estado do troço Maria Teresa/ Dondo

Automobilistas insatisfeitos com o estado do troço Maria Teresa/ Dondo

Os automobilistas que circulam na Estrada Nacional número 230 manifestaram se sábado agastados com a lentidão na execução das obras de reabilitação do troço rodoviário Maria Teresa/ Dondo, num percurso de 62 quilómetros.

Em declarações à Angop, o automobilista Jacob Fernandes disse ser bastante cansativo conduzir naquele percurso, caracterizado por buracos e muita trepidação, facto que tem causado avarias nas viaturas, além do risco de despistes e colisão entre veículos, devido a poeira produzida durante a circulação.

Disse não entender as razões da morosidade já que os trabalhos foram iniciados ao mesmo tempo com o do troço Alto Dondo (Cuanza Norte)/ Desvio da Munenga (Cuanza Sul), com 61 quilómetros, e que se encontra em fase de conclusão.

O mesmo defendeu a responsabilização de algumas empreiteiras pelos transtornos que causam a normal circulação e pelos danos às viaturas, em resultado dos atrasos na conclusão de obras sobre sua responsabilidade.

Já o automobilista Ferreira António, que faz o percurso Luanda/Bié, deplora o estado lastimável do referido troço, adiantando que tal situação levou já a desistência de muito de seus colegas.

Acrescentou que a mesma situação está a criar, igualmente, constrangimentos aos viajantes, obrigados a longas filas de espera nos parques de embarque, devido a insuficiência de viaturas ao serviço de táxi para aquela região.

Sente-se desiludido com o pagamento da taxa de circulação, porquanto os danos decorrentes desta situação são reparados pelos próprios donos das viaturas, sem nenhum ressarcimento tanto do governo quanto das empreiteiras.

A sua preocupação consiste ainda no facto de neste período seco registar-se um abrandamento nos trabalhos, quando devia ser aproveitado para dar maior impulso, enão esperar a época chuvosa para justificar eventuais suspensões ou paralisações das obras.

Por seu turno, a passageira Domingas de Oliveira Cardoso lamentou o facto da situação provocar o aumento na tarifa de passagens que passou de mil e 500 kwanzas, no sentido Dondo/ Luanda, para dois mil e de dois mil para dois mil e 500 kwanzas no sentido inverso.

A isso,acrescentou, associa-se a sobrelotação das viaturas com passageiros que os automobilistas justificam com a necessidade de compensar as despesas decorrentes do mau estado da via.

Entretanto, contactos junto da empreiteira chinesa CTCE, encarregue pela reabilitação do troço para apurar as causas da lentidão, foi inviabilizado pelo corpo da guarda que negou o acesso do jornalista ao interior dos estaleiros, situado na comuna do Zenza- do- Itombe, município de Cambambe, para abordar os seus responsáveis.

As obras de reabilitação do troço Maria Teresa/Dondo, orçadas em 71 milhões de dólares, financiados pela linha de crédito da China, tiveram início em Setembro de 2017, para um período de execução de 17 meses. (Angop)

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.