Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Já há dinheiro para obras em Luanda

O ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares de Almeida, garantiu ontem que as obras paralisadas em Luanda retomam em breve.

Manuel Tavares de Almeida, que falava à imprensa depois de visitar obras em curso na capital, afirmou que “há disponibilidade financeira para conclusão dos projectos”.

A visita efectuada ontem pelo ministro serviu para constatar o andamento das obras que estão a ser feitas para melhorar a circulação das principais vias de Luanda, valas de drenagens e recuperação de espaços de lazer e cultura.

As obras constatadas foram nas zonas das Encostas da Boavista e do Sambizanga, Casa de Reclusão, Rua Soba Mandume, Gajajeira, Ngola Kiluange e obras de recuperação da ponte do Panguila/Kifangongo.

“Está garantida a activação das linhas de financiamento destes projectos e vão ter o ritmo normal de construção”, disse Manuel Tavares de Almeida.

A maior parte das obras visitadas pelo ministro da Construção e Obras Públicas estava paralisada por falta de pagamentos aos empreiteiros. O projecto de reabilitação das cinco estradas que envolvem as ruas da Brigada, Soba Mandume, rua D do Benfica, Patriota/Talatona e Ramal do Bom Jesus, todas elas, estão concluídas em 50 por cento, e o prazo de conclusão final está previsto para Dezembro deste ano.

O coordenador do projecto das cinco estradas, Milton Cerveira, disse que, para a conclusão das obras, tudo depende da disponibilidade financeira. O projecto está orçado em mais de 31 milhões de dólares.

Museu da Libertação

O futuro Museu de Luta de Libertação, apresentado pelos técnicos da obra no local, está a ser erguido nas instalações da Fortaleza de São Francisco do Penedo ou ex-Casa da Re-clusão Militar de Luanda. A obra está orçada em mais de 37 milhões de dólares. A ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, garantiu que as obras estão no bom caminho.

“Viemos analisar o projecto com os técnicos do Ministério da Construção e da Cultura, para, de uma forma colegial, en-contrar a melhor forma de conclusão do projecto. Este espaço será de memórias, sobretudo, para aqueles que lutaram pela libertação do nosso país”, disse.

Ponte do Panguila

A circulação na ponte do Panguila (Kifangongo) vai ser reaberta nos dois sentidos na próxima sexta-feira, após um trabalho provisório de emergência feito, que provocou a sua interdição ontem, das 21h até às 5h da manhã de hoje.
Segundo o ministro, após este período, o Governo vai abrir um concurso público para empresas que pretendam apresentar propostas para a construção definitiva de uma nova ponte.

“Até à próxima sexta-feira, o trabalho provisório de recuperação da ponte estará concluído e a sua reabertura será restabelecida à normalidade. Em relação à nova ponte, vão ser construídas duas pontes, cada com duas faixas de ro-dagem cujas propostas de empreiteiros já existem”, disse.

Manuel Tavares de Almeida afirmou que existem no país cerca de nove mil pontes e todas têm de ter um programa de manutenção corrente. “A situação que ocorreu com a ponte do Panguila aconteceu por falta de acompanhamento e monitoramento da infra-estrutura”, disse.

O ministro garantiu que a ponte do Kifangongo está, do ponto de vista da estrutura, em boas condições, mas ainda assim vai beneficiar de uma intervenção na sua plataforma, por ter sido desgastada com o tempo, por isso é necessário fazer a protecção das suas armaduras. O Jornal de Angola apurou no local que, neste momento, a ponte do Panguila está apenas em condições de suportar 80 toneladas, mas a circulação continua.

“Não temos outra hipótese se não parar tudo. Estamos a utilizar, com alguma prudência, a ponte. Recomendamos que passe um camião de cada vez e que se aproveite também a ponte da linha férrea como alternativa nas horas de maior fluxo no trânsito”, referiu.
O engenheiro civil da construtora Mota Engil Fernando Ribeiro garantiu que a ponte será reaberta até sexta-feira e que a empresa já avançou com a proposta de começar a construir as novas pontes.

O projecto do Governo contempla a construção de duas pontes, com duas faixas de rodagem cada, num prazo de seis meses. A ponte liga Luanda-Panguila-Bengo a outras províncias do Norte do país, como Uíge e Zaire.
A ponte sobre a lagoa do Panguila foi construída em 1968 e concluída em 1972, para suportar veículos me-nos pesados. (Jornal de Angola)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »