InicioDestaquesRepublicanos estavam contra o reconhecimento do Governo de Angola pelos Estados Unidos...

Republicanos estavam contra o reconhecimento do Governo de Angola pelos Estados Unidos da América – Luís Costa Ribas

Republicanos que transitaram da administração Bush queriam impedir o reconhecimento de Angola pelos Estados Unidos, revela o jornalista luso-americano, Luís Costa Ribas, no livro “Uma Vida em Directo – 38 anos de aventuras da Casa Branca a Timor-Leste”.

Segundo Luís Costa Ribas, que entrevistou vários funcionários seniores da administração de Bill Clinton, “a resistência à declaração de 31 de Março pelo Presidente (sobre a revisão da política dos EUA para com Angola) fazia-se sentir nas deliberações internas sobre a situação em Angola. “Os elementos que transitaram da administração Bush queriam impedir que Washington se afastasse da UNITA”, escreve.

Citando a vice-conselheira de Segurança Nacional da Casa Branca, Nancy Soderberg, Luís Costa Ribas conta que “o Presidente (Bill Clinton) dizia ‘queremos fazer isto [reconhecer o Governo]’ e a burocracia respondia com mais perdas de tempo, mais razões para não se fazer nada, ou ‘vamos estudar mais o assunto’, ou ‘vamos reconhecer mas não já’, ou ‘reconhecemos mas não nomeamos embaixador’, e nós considerávamos isso ridículo a ponto de um dia compararmos a situação com aquela comédia inglesa ‘Sim Senhor Ministro’ sempre que a burocracia respondia com mais um adiamento”.

O jornalista da SIC, que também passou pela Voz da América, teve acesso a apontamentos das reuniões secretas no Conselho de Segurança Nacional, assim como os memorandos secretos preparados para as várias reuniões em que o assunto foi discutido, dando conta desses adiamentos.

Numa reunião em Fevereiro de 1993, anotou que o debate incluía a ideia de que “reconhecer incondicionalmente o Governo angolano desperdiçava a possibilidade de se lhe extraírem novas concessões na partilha de poder com a UNITA”.

O reconhecimento do Governo de Angola pelos Estados Unidos da América foi anunciado pelo Presidente Bill Clinton (democrata) no dia 19 de Maio de 1993, no final de uma audiência com o Arcebispo sul-africano Desmond Tutu. (Jornal de Angola)

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.