Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

É Hoje! Concerto Gala Drop

Para celebrar as festividades do Dia da Europa e do Ano do Património Europeu, a Delegação da União Europeia em Angola vai realizar em Luanda uma noite de música ao vivo com o melhor da música alternativa europeia com raízes africanas.

O concerto com produção da MOVART terá a participação da Banda Gala Drop e dos Produtores e Dj’s da editora Príncipe Discos Dj Marfox, Nídia e Dj Maboku e será realizado na Sexta-Feira 8 de Junho de 2018, as 18H:30 no espaço JADE Rooftop.

ENTRADA SÓ POR CONVITE
Passe na MOV´ART Gallery a recolher o seu convite entre as 10:00 e as 18:00 horas.

Gala Drop
Um dos projectos mais vanguardistas e empolgantes que nasceram na Europa na última década. A banda inspira-se em sons e vibrações de diferentes lugares e épocas, produzindo uma música cósmica e psicadélica recheada de electrónica, pop, dub, krautrock, batidas africanas e gospel. Os Gala Drop são uma aventura musical incansável e em constante desenvolvimento – um caso de paixão pela matéria que trabalham – que tenta pelo poder da imaginação transformada em música transmitir-nos esperança num presente colectivo melhor.

Dj Marfox
Produtor e DJ, Marfox é, sem dúvida, o estandarte da Príncipe e o irmão mais velho de todos. Marfox já tocou ao vivo nos últimos anos na Europa e no Reino Unido, nos EUA, em Moscovo, Brasil, Tóquio, Osaka, Seul e Xangai. Agora é a vez de Luanda, onde ele vem quase que em peregrinação.

Dj Maboku
Nome verdadeiro Waldemar dos Santos Almeida, nasceu em Angola mas mudou-se para Portugal aos 6 anos. Integrou a equipa do PDDG (Piquenos DJs do Guetto), formada por volta de 2006, e fundou depois a produtora CDM (Casa da Mãe), antes da sua estreia na Príncipe no final de 2013. Maboku é presença regular na festa mensal ‘Noite Príncipe’ no clube Musicbox em Lisboa.

Nídia
Nídia é a femme fatale da crew. Ela mesma se define como “má e fúdida” no seu último disco, aclamado internacionalmente no circuito underground. Nídia, não pára, “já não me lembro de todos os sítios onde toquei”, diz a partir de Bordéus, em França, onde vive. Temos a certeza de que de Luanda sim se vai lembrar, e muito!

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »